Uso eficiente do carvão ativado como meio filtrante em processos industriais
Edição Nº 39 - Julho/Agosto de 2009 - Ano VIII
Esta notícia já foi visualizada 12176 vezes.


Uso eficiente do carvão ativado como meio filtrante em processos industriais



João Carlos Mucciacito
O interesse sobre o carvão ativado cresceu muito após a Primeira Guerra Mundial, onde o mesmo foi usado contra gases tóxicos. Até o final da guerra, pesquisadores desenvolveram importantes aplicações para o carvão ativo, tais como recuperação de solventes, extração de benzeno de fabricação de gases e eliminação de odor. Atualmente, o uso do carvão ativado cresceu muito.
O carvão ativado ou ativo é um material carbonáceo poroso, fabricado a partir dos mais diversos tipos de materiais orgânicos, por processo de pirólise e ativação.
O esquema abaixo mostra a diferença entre o carvão ativado e o carvão comum.



As matérias-primas utilizadas para obtenção do carvão ativado são quase exclusivamente de origem vegetal e possuem alto poder de carbono, tais como:
- Casca de coco;
- Carvão mineral (antracito, betuminoso e lignito);
- Madeira de alta e baixa densidade (pinus, acácia etc);
- Turfa;
- Resíduos de petróleo;
- Ossos de animais;
- Resíduos agroindustriais;
- Açúcar;
- Caroço de azeitona;
- Casca de noz;
- Caroço de pêssego, entre outros.
As características do carvão ativado dependem da matéria-prima usada, as condições de ativação e a natureza dos agentes ativantes. Com isso, cada processo terá propriedades de adsorção diferentes e usos diversificados.
Estudos indicam que madeiras maiores, resinosas, na forma de serragem e cascas de coco, podem fornecer carvões de ótimas propriedades descorantes e devem ser ativados por processos químicos.
No Brasil, as matérias-primas mais utilizadas para a produção de carvão ativado são cascas de coco, madeiras de pinus e acácias, ossos de animais, os quais são utilizados para a fabricação de um tipo específico de carvão ativado.
A característica mais significativa do carvão ativado é o seu alto poder de adsorção, separações obtidas pela habilidade de moléculas, contidas no fluido, aderidas sobre a superfície de um sólido.

Adsorção Química
A adsorção química ou quimissorção, ocorre quando as moléculas unem-se à superfície do adsorvente através da formação de ligações químicas, covalentes, e ficam paradas em sítios que fazem com que ocorra uma maior interação com o substrato. Uma molécula quimicamente adsorvida pode ser decomposta em virtude de forças de valência dos átomos da superfície. A exis ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade