Melhoria contínua: A estratégia para a sobrevivência do negócio
Edição Nº 75 - Julho/Agosto de 2015 - Ano XIV
Esta notícia já foi visualizada 1540 vezes.


Melhoria contínua: A estratégia para a sobrevivência do negócio



por Natã Teodoro de Lima
O processo de evolução sempre desafiou o homem, pois sair da zona de conforto é experimentar o novo, enfrentar o desconhecido e superar nossos limites, sempre.
A indústria brasileira passa por um momento de incertezas. É comum ouvir em conversas entre executivos e acionistas comentários que demonstram a preocupação com o rumo do país, e podemos observar também as matérias publicadas pela imprensa  com a mesma falta de perspectiva.
Economistas e comentaristas jornalísticos vêm apresentando cenários que não são dos melhores, afinal os indicadores econômicos dos institutos renomados de nosso país apontam números, no mínimo, preocupantes.
Surge uma pergunta, o que fazer?
Afinal, o Brasil, até alguns anos atrás (2010) estava vivendo a euforia de receber grandes eventos internacionais, com a indústria produzindo bem, ao ponto de falarmos em “apagão” de mão de obra.
Naquele momento tudo parecia bem, pois estávamos cercados de otimismo, o mundo nos observando para entender o nosso sucesso.
Cinco anos depois somos objeto de preocupação, afinal, o que vai acontecer? É sabido que no Brasil existem inúmeros problemas que tornam nossos produtos caros, alta alíquota de impostos, excesso de tributação afetando o custo direto da produção, sem contar com a fragilidade da infraestrutura de nossas estradas, portos e aeroportos, onde a questão logística agrava nossa situação.
Infelizmente muitos de nossos problemas vêm do sistema político, modelo de gestão pública que tudo indica, não vai mudar de imediato.
Mas a pergunta continua, o que fazer?
Ao recorrermos a literaturas que tratam o assunto (Magee David – O segredo da Toyota; Shingo Shigeo - O Sistema Toyota de Produção) e outras, veremos o case de sucesso do Japão, um país devastado pela segunda guerra mundial, com a economia desacreditada, mergulhada em dificuldades econômicas. Porém a história nos conta mais, mostrando que a crise tornou-se oportunidade de melhoria.
Talvez a cultura oriental estivesse nos ensinando alguma coisa. Que a crise é uma oportunidade de melhorarmos, afinal, somos forçados a sair da zona de conforto, encarar o desconhecido e fazermos diferente.
Há alguns anos aprendi que gestão bem sucedida passa por processo de melhoria contínua, técnicas de administração japonesa, como Kaizen - Melhoria Contínua (Kai – mudar, e Zen – para melhor).
O Kaizen foi uma das ferramentas qu ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade