Indicadores de mercado
Edição Nº 83 - Novembro/Dezembro de 2016 - Ano XV
Esta notícia já foi visualizada 2280 vezes.


Indicadores de mercado






Mercado de veículos seminovos cresce 84% na crise e registra negócios de R$ 7,8 bi em 2016

O mercado de veículos seminovos e usados é um dos poucos setores que registram crescimento no período de crise econômica no Brasil. As vendas apuradas de janeiro a agosto deste ano somam cerca de R$ 7,8 bilhões, um crescimento de 84% em relação ao mesmo período do ano anterior, com R$ 4,2 bilhões. Os dados são da plataforma AutoAvaliar, sistema de gestão de vendas e estoques utilizado em mais de 1,3 mil concessionárias de veículos e cerca de 20 mil revendedores multimarcas no Brasil.
O levantamento da AutoAvaliar mostra ainda que o custo médio com as transações de seminovos e usados também subiu de um ano para outro. De janeiro a agosto de 2016, a média foi de R$ 22,5 mil por automóvel, ante os R$ 19,9 mil verificados no mesmo período de 2015, um crescimento de 13%.
Segundo Daniel Nino, diretor da AutoAvaliar, o mercado de seminovos foi, de certa forma, beneficiado com a crise, à medida que os gastos dos brasileiros foram direcionados para itens mais baratos. “O consumidor tem preferido um seminovo, com um valor mais em conta, já que sabe que vai conseguir pagar, do que um veículo zero quilômetro, cujas prestações podem ser bem mais onerosas”, afirmou Nino.

Anfavea apresenta dados da indústria automobilística 

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, divulgou recentemente o resultado da indústria automobilística brasileira em setembro e no período acumulado do ano. Os dados apontam retração de 13% nas vendas de veículos novos, com 160 mil unidades comercializadas no último mês e 183,9 mil em agosto.
Na análise contra as 200,1 mil unidades licenciadas em setembro do ano passado, o setor registrou baixa de 20,1%. No acumulado no ano, com 1,51 milhão de unidades, a queda foi de 22,8% – em 2015 foram vendidos 1,95 milhão no mesmo período. Na visão do presidente da Anfavea, Antonio Megale, alguns fatores justificam o resultado neste mês: “O desempenho caminha no sentido da estabilidade, mas fatores pontuais têm provocado variações inesperadas. Além de setembro ter dois dias úteis a menos, notamos dificuldade dos consumidores em conseguir financiamento de veículos novos, uma vez que os bancos estavam em greve, o que certamente influenciou o balanço”.
A produção ficou menor em 3,9%, com 170,8 mil ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade