Ar comprimido de alta qualidade
Edição Nº 83 - Novembro/Dezembro de 2016 - Ano XV
Esta notícia já foi visualizada 2758 vezes.


Ar comprimido de alta qualidade



Suzana Sakai


Tratamento

As necessidades da indústria são definidas pela qualidade do ar, pela quantidade e pelo nível de pressão. O ar comprimido contém, de forma geral, três tipos de contaminantes: partículas, provenientes do ambiente local, dos compressores e/ou da parte interna da tubulação; água, resultante da umidade contida no próprio ambiente e, por fim, o óleo, originário do contato do ar com as partes lubrificadas do compressor ou do próprio ambiente. “Tais contaminantes podem causar diversos problemas nos processos industriais, como imperfeições nos procedimentos de pintura, erros de leitura nos instrumentos, contaminações de alimentos e embalagens e falhas dos atuadores pneumáticos, ocasionando sua manutenção frequente. Ou seja, um pequeno investimento em um ar de boa qualidade evita grandes danos nos equipamentos e produtos finais, representando uma economia significativa para o processo”, indicam os engenheiros da Apexfil.
“O não tratamento do ar comprimido, através de filtros, impacta no incremento das intervenções (manutenções) dos equipamentos pneumáticos e na própria vida útil dos mesmos. Em outras situações, onde o ar comprimido é utilizado diretamente no processo, temos o agravante da perda de qualidade do produto final resultando em retrabalho nos mesmos ou até seu descarte”, complementa o gerente de desenvolvimento de negócios da plataforma de tratamento de ar e gases comprimido da Parker, engenheiro Carlos Leone.
Para evitar os contaminantes e garantir um produto final de alta qualidade, o tratamento de ar comprimido conta com três tipos principais de filtros utilizados, sendo eles os pré-filtros, os filtros coalescentes e os filtros adsorvedores.
O pré-filtro, também conhecido como filtro de partículas, como o próprio nome já sugere, é um filtro destinado à remoção de partículas sólidas instalado antes do filtro coalescente, a fim de retirar contaminantes mais grosseiros. Normalmente apresentam meio filtrante em celulose ou poliéster. “Filtros de partículas possuem capacidade de retenção na faixa de 3 a 40 micra sendo largamente utilizado em sistemas de preparação do ar comprimido. Conseguem evitar que partículas, provenientes de tubulações em processo de corrosão, sejam arrastadas para os equipamentos pneumáticos. Líquidos em geral também podem ser eliminados pelo processo de centrifugação característicos destes filtros. Sua instalação é indicada o mai ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade