ISO 16890: uma revolução nas normas de filtros de ar
Edição Nº 84 - Janeiro/Fevereiro de 2017 - Ano XV
Esta notícia já foi visualizada 2310 vezes.


ISO 16890: uma revolução nas normas de filtros de ar



por Suzana Sakai

Respirar é um instinto natural e essencial para a vida. O ser humano respira a cada quatro segundos. Em grandes centros urbanos, onde há altos índices de poluição, a cada respiração de uma pessoa são inaladas mais de 50 bilhões de partículas nocivas à saúde. Neste cenário, um ar limpo, com qualidade e sem riscos para o organismo humano é algo de extrema importância para o futuro da humanidade e é exatamente isso o que promete a International Organization for Standardization (ISO) com a publicação da ISO 16890, que define procedimentos de testes e sistema de classificação para filtros de ar usados em equipamentos de tratamento de ar. 
A iniciativa é considerada como um marco na normatização de filtros de ar por harmonizar duas normas já existentes no mercado: a EN779:2012 e a ASHRAE 52.2. Com a nova norma, as confusões comparativas serão evitadas e ficará mais fácil definir o valor agregado do produto e suas aplicabilidades. Além disso, o comércio mundial será padronizado, já que a ISO 16890 tem abrangência global. “O conteúdo obteve aprovação de 100% dos países e possui procedimentos de testes e sistema de classificação mais intuitivos, transparentes e simples, que garantirão filtros com melhor desempenho, mais qualidade do ar interior e consequentemente mais proteção para o ser humano”, afirma o diretor de vendas & marketing da Camfil Latin America, Sergio Sato.
É importante destacar que a criação da ISO 16890 teve como uma das premissas o impacto comprovado da qualidade do ar na saúde humana, pois enfatiza a importância de se testar e classificar filtros com eficiências baseadas em PM1, que constituem o grupo de partículas com menor dimensão (<1µm) e mais nocivas ao organismo humano atualmente, como, por exemplo, fuligem, diesel, vírus, etc.




O que mudou?
A ISO 16890 harmonizou a EN779:2012 e a ASHRAE 52.2 nos quesitos método de ensaio, descarga eletrostática, ensaio gravimétrico e classes de eficiência. 
Em diversos aspectos, o novo procedimento de testes se mostra mais exigente, o que garantirá filtros com melhor desempenho, mais qualidade do ar interior ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade