Zeólita remove ferro, manganês e outros elementos e compostos químicos
Edição Nº 84 - Janeiro/Fevereiro de 2017 - Ano XV
Esta notícia já foi visualizada 2757 vezes.


Zeólita remove ferro, manganês e outros elementos e compostos químicos



por Cristiane Rubim

A zeólita é muito importante no tratamento de água para consumo humano e de processos industriais porque é um mineral natural oriundo de cinzas vulcânicas. Com capacidade de realizar trocas catiônicas, dispensa o uso de qualquer produto químico na sua ação, além do processo de retrolavagem não gerar passivo ambiental (rejeito nocivo). A zeólita tem grande volume de poros e age como uma “esponja” ou peneira molecular. 
Há grande variedade de tipos de zeólitas, que se dividem em naturais e sintéticas. 
As naturais são extraídas de minas e formadas da erupção de vulcões que originam rochas metamórficas. O magma se solidifica e forma rochas que se desgastam sob ação do tempo em partículas gerando diferentes tipos de zeólitas. São mais de 80 tipos de zeólitas naturais: Clinoptilolita, Modernita, Escolecita, Analcima etc. 
Quanto às zeólitas sintéticas, existem mais de 150 tipos. “As sintéticas são fabricadas a partir de compostos químicos com pressão, temperatura e tempo de produção controlados, possuindo cavidades internas mais uniformes que as naturais e maior eficiência para algumas aplicações”, esclarece Rafael Moimaz Di Serio, engenheiro de segurança e meio ambiente do departamento técnico da Celta Brasil. “As zeólitas ditas artificiais são manganês de elevada pureza associado a outros materiais que agregam valor de catálise nos tratamentos de água para diversas aplicações”, explica Everaldo Moreira de Souza, gerente técnico e comercial da Hydrus Brasil. 
“As zeólitas sintéticas não são usualmente aplicadas em tratamento de águas, tendo sua função voltada mais para a área industrial”, diz Di Serio. O engenheiro cita que elas são muito utilizadas como peneira molecular de gases, PSA (geração de oxigênio), geração de ozônio, catalizador de processos químicos em indústrias, em escapamentos de automóveis etc., separação de gases, craqueamento, entre outras aplicações.

Adsorção dos metais
A Celta Brasil adota a Zeólita Clinoptilolita por ser o mineral mais indicado para tratamento de água e efluentes devido à sua alta seletividade iônica, baixa densidade, alta porosidade e grande área superficial. Para remoção de ferro e manganês, o processo que se mostra eficiente para uma mídia granular é a adsorção dos metais, onde moléculas ou íons de um fluido s ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade