O uso inteligente do Big Data a favor da indústria
Edição Nº 84 - Janeiro/Fevereiro de 2017 - Ano XV
Esta notícia já foi visualizada 2277 vezes.


O uso inteligente do Big Data a favor da indústria



por Marlos Bosso
No século 18, o setor manufatureiro passou por uma grande transformação, motivada principalmente pela popularização da máquina a vapor, dando origem à chamada Revolução Industrial. Posteriormente, outras duas grandes revoluções afetaram o setor, primeiro com a difusão do processo de produção em série e depois com a transformação resultante da automação industrial, no começo e no fim do século 19, respectivamente. Atualmente, observamos o uso crescente de tecnologias digitais, principalmente soluções de Big Data e suas aplicações na Internet das Coisas. Por isso, muitos apostam que as transformações tecnológicas dos tempos atuais indicam que já estamos nos inserindo, de forma gradual, na quarta fase da   revolução industrial, também conhecida por Indústria 4.0. Embora seus impactos e os caminhos que ela possa tomar ainda sejam desconhecidos, é possível fazer uma breve análise do que existe hoje e do que ainda está por vir.
Imagine, por exemplo, uma fábrica totalmente conectada e autônoma. Nela, equipamentos como robôs da linha de montagem, máquinas de solda, tornos e paletizadores geram informações detalhadas de todo o funcionamento da planta e comunicam-se entre si para tomarem decisões à revelia dos operadores. Dados externos, como as condições climáticas, podem também ser levados em consideração nesses processos. Assim como, em uma fábrica, todas as máquinas podem ser conectadas entre si, é possível que toda uma cadeia de produção - desde a extração das matérias primas até a utilização do produto final pelos consumidores - seja conectada, gerando informações valiosíssimas para a evolução e desenvolvimento dos produtos.
Por meio de soluções sofisticadas de Data Mining e Machine Learning, estes dados podem ser coletados e analisados com o uso de inteligência especializada, tornando possível identificar padrões e eventos com mais agilidade e eficácia. Estas mesmas informações podem ser usadas para um maior entendimento de tais padrões e, assim, desenvolver produtos e serviços que atendam às necessidades de clientes e consumidores.
Os padrões de uso das máquinas podem ser continuamente monitorados, reportando os dados ininterruptamente para os servidores analíticos. Isso vai permitir que elas nos digam e recomendem como e quando aumentar a produção e a qualidade dos produtos. Também será possível otimizar as manutenções preventivas e a troca de equipamentos, além do consumo de energia e água, impulsionando a lucrativid ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade