Abrafiltros apresenta resultados e metas do programa Descarte Consciente no Paraná
Edição Nº 86 - Maio/Junho de 2017 - Ano XVI
Esta notícia já foi visualizada 3005 vezes.


Abrafiltros apresenta resultados e metas do programa Descarte Consciente no Paraná




A Abrafiltros – Associação Brasileira das Empresas de Filtros e seus Sistemas – Automotivos e Industriais, por meio do gestor de projetos da entidade, Marco Antônio Simon, apresentou os resultados do programa Descarte Consciente Abrafiltros de 2013 a 2016 no Paraná, bem como as metas até 2019 na reunião do R20, grupo que trabalha na gestão associada dos municípios paranaenses na implementação da política nacional e estadual de resíduos.
A reunião teve a participação recorde de 175 pessoas, com a presença do secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Antonio Carlos Bonetti; a deputada estadual Maria Victória; o vice-presidente da Fecomércio/PR, Paulo César Naulack; Vinício Bruni, coordenador de resíduos sólidos da Secretaria do Meio Ambiente; e Carlos Alberto Sarubbi, diretor da Geoquímica, empresa do grupo Supply Service responsável pela operação logística do programa Descarte Consciente Abrafiltros no Paraná, entre outras personalidades.
Desde a implantação no Paraná em fevereiro de 2013 até o término de 2016, foram recolhidos pelo programa 665.952,60 kg de filtros usados de óleo lubrificante automotivo, equivalentes a 1.707.571 filtros reciclados (peso médio 0,390 kg), com investimento de mais de R$ 2 milhões no Estado.
“O programa Descarte Consciente Abrafiltros sempre superou as metas estabelecidas, foi renovado no ano passado e teve aprovação dos resultados de 2014 e 2015, conforme ofício recebido em dezembro da SEMA-PR”, comenta Simon. “Isso demonstra o comprometimento da Abrafiltros e empresas associadas com a logística reversa e o meio ambiente, sendo importante ressaltar que o crescimento do programa deve ocorrer gradativamente em bases sustentáveis de viabilidade logística e econômica, uma vez que o processo de reciclagem é de alto custo e não há retorno direto para a cadeia de filtros”, explica.
Na reciclagem, o metal é encaminhado para siderúrgicas, o óleo lubrificante usado contaminado segue para o rerrefino e todo o restante – elementos filtrantes, vedações etc – é enviado para coprocessamento em cimenteiras para geração energética, processo que é custeado integralmente pelas empresas participantes.
Para 2017, a previsão é que sejam reciclados 240.600 kg de filtros usados do óleo lubrificante automotivo no Paraná, sendo que o programa está ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade