Filtração é um dos pontos mais estudados na hora de elaborar alimentos e bebidas
Edição Nº 88 - Setembro/Outubro de 2017 - Ano XVI
Esta notícia já foi visualizada 35172 vezes.


Filtração é um dos pontos mais estudados na hora de elaborar alimentos e bebidas



por Cristiane Rubim


As aplicações da filtração no segmento de alimentos e bebidas são muito amplas e diversificadas e vão desde as mais simples até as mais complexas, podendo ser total e completa ou apenas parcial. Seu objetivo é manter o produto adequado para consumo por maior tempo possível nas gôndolas dos supermercados. Além disso, aumentam o valor nutricional dos alimentos, garantem o controle microbiológico e asseguram a qualidade e a padronização dos produtos. O avanço tecnológico no processo de produção, ao contrário do que se pensa, requer menos uso de filtros, que são um dos pontos mais estudados hoje na hora de elaborar alimentos e bebidas. 

Avanço tecnológico requer menos filtros
Os processos de filtração estão cada vez mais sendo requisitados no mercado de bebidas e alimentos. “O consumidor está exigindo mais qualidade e as indústrias precisam garantir esta qualidade nos pontos de venda com uma validade cada vez maior. Logo, usando mais filtros nas etapas iniciais, menor será a probabilidade de ter contaminantes – particulados ou microbiológicos – nas etapas finais e maior a estabilidade dos produtos envasados/embalados”, diz o especialista em filtração de processos, Rogério Jardini, que faz treinamentos e seminários sobre o tema e fornece suporte técnico em vendas de filtros.
Henrique Braiti de Souza, executivo de desenvolvimento de negócios – O&G da Parker Hannifin, compartilha da opinião. “Com a fabricação de produtos em alta escala, é necessária a aplicação dos filtros ao longo do processo produtivo para garantir a qualidade dos produtos e assegurar o produto adequado para consumo por maior tempo possível, aumentando sua vida de prateleira e fortalecendo sua marca junto ao mercado consumidor”, ressalta. Além destes fatores, ele diz que o mercado nacional tem buscado se adequar às exigências da norma norte-americana Food and Drug Administration (FDA).
Quando se faz uma relação de que o avanço tecnológico no processo de produção requer o aumento do uso de filtros, Paulo Santiago de Araujo, gerente de contas Sr. da Separation and Purification Sciences Division (SPSD) da 3M, afirma que é exatamente o contrário. “Quanto mais avançado o processo de produção e utilização de novas tecnologias, os filtros são menos requisitados, po ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade