Filtros de processo para linha farmacêutica
Edição Nº 92 - Maio/Junho de 2018 - Ano XVII
Esta notícia já foi visualizada 8910 vezes.
Matéria patrocinada por:


Filtros de processo para linha farmacêutica



por Carla Legner
A fabricação de medicamentos é um processo muito delicado. Diversos cuidados para evitar contaminação devem ser levados em conta dentro dos ambientes de produção, um deles é em relação à qualidade da água usada nesses procedimentos.  Essa água, de acordo com suas características ou nível de pureza são classificadas em: Potável - se for para consumo dos funcionários e uso de maneira geral, logo contém cloro para sua proteção; Purificada - não contém cloro, mas pode conter poucas partículas e microrganismos; Estéril ou Ultrapura – nesse caso não pode conter partículas e microrganismos até 0,2 micron.
Dependendo do produto a ser fabricado, a água potável é indicada, como no caso de fabricantes de xaropes, ou soluções orais, que serão bebidas ou ingeridas pela boca, mas na maioria das aplicações deste mercado, a água tem que ser ultrapura, como nos processos de fabricação de injetáveis e de forma sintética e/ou por processos de fermentação que usam microrganismos vivos para fazer a síntese do processo.
A purificação desta água é normalmente feita utilizando aparelhos de Osmose-Reversa em duas etapas e com microfiltração esterilizante no final, indo para o processo ou tanques sanitários metálicos, com filtros no respiro, para evitar entrada de contaminantes. Os filtros de processo para linha farmacêutica são utilizados para reter os contaminantes tanto particulados, como microrganismos. Eles são selecionados de acordo com suas características nas aplicações dentro dos processos produtivos.
De acordo com Rogério Jardini, engenheiro químico especializado em filtração de processos industriais e residenciais da RFL Cursos & Serviços, é vital para os processos de fabricação de produtos injetados ou parenteral, que não podem conter estes contaminantes e que serão aplicados em seres vivos para sua proteção, que em muitos casos estão doentes. “Como seu uso são para os seres vivos, os riscos podem ser de um mal-estar (febre, vômito, manchas roxas na pele, etc) e até a morte”- destaca Jardini.


Na indústria farmacêutica os sistemas de filtração são fundamentais e indispensáveis em várias etapas e processos. Christian Stauch, diretor da Remae, explica que além do processo de purificação da água, são aplicados no processo na secagem de produtos, na descontaminação do ar, na mis ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade