Edição Nº 97 - Março/Abril de 2019 - Ano XVII
6996 visualizações
Quais as perspectivas de investimentos para transformação digital em 2019?


Quais as perspectivas de investimentos para transformação digital em 2019?



por Silnei Kravaski
O mercado em 2018 ficou um pouco retraído, grandes investimentos não foram feitos e alta do dólar, instabilidade política, incertezas, colaboraram para que de certa forma esse cenário de paralisação perpetuasse. Porém, 2019 chega com boas perspectivas para a área de TI. O Gartner aponta para uma diversidade de tendências, como IOT, inteligência artificial, tecnologias imersivas e ética e privacidade digital, que trarão impactos significativos para a sociedade nesse ano, demonstrando que os investimentos em Transformação Digital vão estar em alta. Projetos visando iniciativas tecnológicas e novos paradigmas de mercado serão impulsionados ainda mais a partir deste ano.
O novo cenário político também ajuda, pois, na medida em que a economia for destravando, será natural que o mercado de TI, principalmente no tocante a serviços e soluções, volte a crescer. A expectativa para 2019 é que o novo governo consiga dar tranquilidade para que os investimentos sejam retomados. Há também uma enorme transformação no mercado acontecendo e as empresas precisam acompanhar tudo isso.
Mas será que as organizações estão tecnologicamente preparadas para acompanhar esse crescimento? 
A resposta é que algumas sim e outras não. Nos últimos anos, diversas empresas mantiveram suas infraestruturas de TI ou estão com elas obsoletas. Embora em um primeiro momento esse cenário tecnológico pareça e até seja suficiente, não significa que seus negócios expandirem 10% ou 15%, por exemplo, ela estará amparada, afinal ela vai sim consumir mais; os problemas de armazenamento de dados vão surgir; bem como a telefonia tornar-se-á cada vez mais missão crítica. Não se esquecendo da transformação digital, nova lei de proteção, máquinas conversando com máquinas, entre outros aspectos que exigem atualização. Tudo isso, aliado a premissa de aumento de produtividade e de competitividade, demandam mudanças em caráter emergencial.
Mas, levando em consideração que tecnologia não é o core business de quem precisa transformar sua infraestrutura de TI, fica ainda mais complicado identificar em que estágio da curva de maturidade encontra-se ou mesmo qual o melhor caminho a seguir. O melhor é priorizar o Capex ou o Opex? Deixar tudo dentro de casa, levar para uma cloud pública, privada ou híbrida? Segundo o IDC, até 2022, 80% das empresas vão estar em cloud, mas no Brasil talvez possamos esperar que essa velocidade seja um pouco mais lenta. Em minha opinião, não s ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade