Edição Nº 103 - Março/Abril de 2020 - Ano XVIII
8853 visualizações
O desafio dos fabricantes de filtros hidráulicos para atender às novas tecnologias não para


O desafio dos fabricantes de filtros hidráulicos para atender às novas tecnologias não para



por Cristiane Rubim

 

A hidráulica evoluiu muito nos últimos anos. Seus componentes hidráulicos, elementos de máquinas e óleos hidráulicos e lubrificantes se modernizaram tecnologicamente. E os filtros hidráulicos acompanharam essa tendência para garantir um nível de limpeza cada vez melhor aos sistemas. Aqui está o desafio: para atingir esse nível de limpeza mais rigoroso, os fabricantes de filtros tiveram que evoluir na tecnologia aplicada no meio filtrante. Hoje, os filtros hidráulicos e elementos filtrantes dispõem de opções para aplicações específicas com soluções customizadas, melhores níveis de limpeza e vida útil mais longa.
A aplicação, o dimensionamento e a seleção dos filtros não mudaram. As alterações observadas ao longo do desenvolvimento tecnológico dos filtros são a redução de tamanho e de peso e os custos de fabricação dos equipamentos novos. “Para os equipamentos existentes, a substituição dos elementos filtrantes de tecnologia ultrapassada pelos similares com tecnologia mais avançada combina menor perda de carga inicial, menor consumo energético e maior vida útil, dependendo do caso” – ressalta Alex Alencar, engenheiro de aplicações da Engefluid, empresa distribuidora focada no segmento fluidodinâmico.

Eficácia do material
A eficácia de um filtro está atrelada à tecnologia do material usado no elemento filtrante para reter partículas sólidas. “Onde existe aplicação com componentes sensíveis à contaminação, como válvulas direcionais, proporcionais, bombas de pistão, entre outros, é preciso o uso de filtros para protegê-los de contaminações geradas a todo momento de inúmeras fontes” – exemplifica o engenheiro Gabriel Souza, gerente de produto da divisão de filtros da Hydac.
Apesar de existirem inúmeros meios filtrantes, como a fibra de vidro e a celulose, Souza recomenda que é sempre importante utilizar material que ofereça ao sistema perda de carga inicial baixa e alta capacidade de retenção, assim, será possível disponibilizar vida útil maior do elemento filtrante. Além disso, ele indica usar um meio filtrante que retenha partículas de diferentes tamanhos, principalmente entre 3 µm e 15 µm, que causam dano prematuro aos componentes hidráulicos, elevando os custos de manutenção.
Para este caso, a Hydac criou os elementos hidráulicos Optimicron®, produzidos com fib ...


AVISO

Para acessar esta matéria na íntegra é necessário estar logado.Clique aqui para realizar o seu cadastro!
Já tem login? clique aqui

Publicidade