Publicidade
MEIO FILTRANTE - A saúde afetada pelos odores provenientes do efluente doméstico e o problema dos esgotos a céu aberto

Esta notícia já foi visualizada 38479 vezes.

A saúde afetada pelos odores provenientes do efluente doméstico e o problema dos esgotos a céu aberto

Data:3/10/2014

por João Carlos Mucciacito e Selma Arruda Cordeiro

 

O saneamento básico, em especial a coleta de esgoto sanitário, é uma importante ferramenta de preservação do meio ambiente e da saúde da população. Mas em Cuiabá, uma das cidades sedes da Copa do Mundo de 2014, e base do estudo realizado, isso ainda não é realidade. Conforme publicado recentemente pelo Instituto Trata Brasil, Cuiabá, capital de Mato Grosso é a pior cidade-sede da Copa em saneamento básico, figurando entre as últimas posições das 100 maiores cidades, o estudo mostra ainda que não houve avanços em fatores como a coleta de esgoto e que de cada dez casas em Cuiabá, apenas duas contam com o serviço, atendendo 39,9% da população. Conforme o ranking, que avalia uma série de fatores e dá nota de 0 a 10, a Capital teve média final 3,17.
Os serviços de saneamento básico representam importância fundamental para o desenvolvimento das cidades, visando proporcionar uma melhor qualidade de vida à população e ajuda na preservação ambiental. A Constituição Federal (CF) promulgada em 1988 definiu em seu art. 225 que “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações”. Ainda, conforme a CF a titularidade dos serviços de saneamento foi repassada aos Municípios, pois possuem status de entes da federação, ao lado da União, dos Estados e do Distrito Federal. Essa parceria entre as esferas de governo chamado de pacto federativo viabiliza oportunidades e consequentemente gera melhoria na gestão e prestação dos serviços obtendo um maior controle social. De modo geral as políticas públicas existem para melhorar a qualidade de vida da população.
De acordo com IBGE, no Brasil, 11% dos domicílios têm esgoto a céu aberto no entorno da residência. Geralmente os bairros mais carentes, localizado nas periferias das cidades são os mais afetados, muitos, por falta de possibilidades financeiras, ou mesmo por desconhecimento convive com esta triste realidade, e até mesmo acentuam o problema despejando seus dejetos e depositando lixos diretamente em rios e córregos.
O objetivo deste estudo é analisar se o mau cheiro produzido pelo esgoto que corre a céu aberto, quando inalado por um longo período é prejudicial à saúde. E quando próximo de uma escola, se dificulta o aprendizado dos alunos, atrapalha sua concentração e rendimento escolar. Como local de estudo, para realização da pesquisa, foi selecionado a Escola da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso (Tiradentes), que pertence à rede Estadual de Ensino do Estado de Mato Grosso, localizada em Cuiabá. Ao lado da escola, passa um canal de esgoto, que sem a infraestrutura e canalização para tratamento corre a céu aberto. Professores e alunos sofrem com mau cheiro, quase insuportável, principalmente em dias mais quentes.

 

 

Odores provenientes do esgoto
Segundo JACOB - 2003, p. 70, geralmente, a discriminação entre “bom” e “mau” cheiro é importante desde que os cheiros agradáveis e desagradáveis requerem diferentes reações comportamentais e ações a serem tomadas. Mau cheiro nos alerta de perigo, baixa qualidade do ar, comida estragada, venenos, provavelmente com doença – tudo que requer algumas decisões imediatas para ser feita e ação para ser tomada – por exemplo, evitar ou retirar. Cheiros prazerosos, por outro lado, não necessita de ação ou decisão imediata. De fato a significância biológica de cheiros prazerosos não é imediatamente óbvia.
O processo de sentir cheiro e odores inicia-se com a sensibilização do sistema olfatório por substâncias odoríferas dispersas no ar atmosférico. Essas substâncias, que se encontram geralmente no estado gasoso, apresentam uma pressão de vapor considerável.
Por esta razão, podemos identificar que as substâncias que proporcionam certos odores apresentarão pressão de vapor alta, para que se encontre no estado gasoso, com baixa interação intermolecular. Segundo, a volatilidade das substâncias odoríferas é essencial para que o sistema olfativo seja sensibilizado, pois é necessário que tenhamos uma interação entre as substâncias odoríferas e as células receptoras. Essa interação é feita pela dissolução dessas substâncias nas camadas mucosas do sistema olfatório das cavidades nasais. Portanto, podemos dizer que a substância odorífera entra na cavidade nasal e quando em contato com as células receptoras gera um sinal elétrico que é transmitido para as regiões olfatórias do cérebro. Desta forma, o ar é responsável pela nossa saúde, quando inalamos um ar puro (respirável) e por trazer doenças quando inalamos um ar poluído, cheio de gases e bactérias.
No Brasil, as doenças resultantes da falta ou de um inadequado sistema de saneamento, especialmente em áreas pobres, têm agravado o quadro epidemiológico (BRASIL, 2006).
“A maioria dos problemas sanitários que afetam a população mundial estão intrinsecamente relacionadas com o meio ambiente.
Um exemplo disso é a diarréia que, com mais de quatro bilhões de casos por ano, é uma das doenças que mais aflige a humanidade, já que causa 30% das mortes de crianças com menos de um ano de idade. Entre as causas dessa doença destacam-se as condições inadequadas de saneamento”, GUIMARÃES, CARVALHO e SILVA, 2007. Conforme dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografias e Estatística), cerca de 100 milhões de brasileiros vivem diariamente sem coleta e tratamento de esgoto. Isso acarreta em uma direta contaminação do solo, além de ser responsável por cerca de 30% de toda mortalidade nacional. De todo o esgoto coletado, apenas 10% é tratado, o restante é despejado livremente nos rios.
O processo de geração de odores nos esgotos tem a presença de sulfetos, e em decorrência da atividade biológica favorece a produção de gases não derivados de sulfetos, que podem ser odoríferos ou não. Existem situações em que a produção de odores nos esgotos não resulta de reações químicas ou atividades biológicas.
Conforme o guia de primeiros socorros para o Sulfeto de Hidrogênio da Environmental Protection Agency (E.P.A. 2001), a toxicidade do H2S ocorre por inalação ou pelo contato com a pele e olhos. Os efeitos na saúde humana decorrentes de exposição aguda são: taquicardia, palpitações cardíacas, arritmias cardíacas, bronquites, edemas pulmonares, depressão respiratória e até paralisia respiratória. Entre os efeitos neurológicos citam-se: vertigem, irritabilidade, dor de cabeça, tontura, tosse, convulsões e até estado de coma. Normalmente esses sintomas são acompanhados de náuseas, vômitos e diarreia.

 

 

Caracterização do esgoto
Esgoto – é o termo usado para as águas que, após a utilização humana apresentam às suas características naturais alteradas. Seja devido o uso comercial, industrial ou doméstico essas águas apresentarão características diferentes e são genericamente designadas de esgoto, ou águas servidas.
Esgoto bruto - mais conhecido como água usada, isto é após a utilização da água ela sofre novas transformações na sua qualidade e assim vem a constituir despejo liquido.
Segundo definição da norma brasileira NBR 9648 (ABNT, 1986) o Esgoto Sanitário - é o “despejo líquido constituído de esgotos doméstico e industrial, água de infiltração e a contribuição pluvial parasitária”. Sabe-se que a palavra esgoto e quase sempre é utilizada para caracterizar os despejos provenientes do uso das águas, seja uso doméstico, comercial, industrial ou de utilidade pública, de áreas agrícolas e outros efluentes.
O esgoto usualmente é classificado em dois grupos principais: o esgoto sanitário e industrial. O esgoto sanitário constituído essencialmente de despejos domésticos, contém parcela de águas pluviais e, eventualmente, também recebe parcela não significativa de despejos industriais, e suas características são bem definidas. O esgoto industrial é proveniente da utilização da água para no setor industrial. Porém cada indústria necessita de diferentes processos de tratamento para seus efluentes. O esgoto é grande gerador de poluição e de transmissão de doenças. Se despejado diretamente no meio ambiente, (exemplo a imagem acima), produz odor forte e fétido, carregadas de bactérias nocivas, como as coliformes (Escherichia coli, por exemplo), que causam enfermidades, pois a água por elas infectada se torna um risco para a saúde.

Inalar diariamente esgoto bruto causam problemas de saúde?
O esgoto é responsável por produzir odor forte e fétido, cheiro caracteristico de ovo podre. E através do ar os esgotos transportam bactérias nocivas. Então, imagine você todos os dias inalando (respirando) absorvendo as bactérias trazidas pelo ar. Com certeza sua saúde não vai durar muito! Sabe-se que ar puro e limpo é melhor para manter a boa saúde respiratória. Maus cheiros são uma indicação que algo vai mal, que um contaminante está presente no ar. Se o cheiro de gás de esgoto ou esgoto bruto está presente, possivelmente é um sinal de perigo para a saúde. Então, respondendo a questão, o esgoto causam sérios problemas de saúde, seja pelo contato direto com ele ou através do ar, pois o mau cheiro produzido pelo esgoto trata-se de gàs de esgoto. Assunto da próxima questão.

O mau cheiro do esgoto são gases? Quais são esses gases?
As águas residuais (esgoto) contêm basicamente matéria orgânica e mineral, em solução e em suspensão, assim como alta quantidade de bactérias e outros organismos patogênicos e não patogênicos, essas águas residuais em decomposição, no processo anaeróbio produzem os gases (metano, óxidos de nitrogênio e sulfídrico), que causam um odor desagradável cheiro caracteristico ao cheiro de ovo podre. Sentido facilmente em espaços fechados, como tubulações ou estações de tratamento que podem estar concentrados a níveis perigosos, exigindo o uso de material especial e equipes de resgate. O gás sulfídrico é o principal responsável pelo cheiro característico do esgoto em decomposição anaeróbica.
Após os conceitos citados, podemos afirmar que o mau cheiro do esgoto são substâncias agudamente tóxicas e é importante cuidar para não se inalar por longos períodos.
Gás de Esgoto – é um termo para o gás sulfeto de hidrogênio, que é detectado como um cheiro semelhante de ovos podres. Possui caracteristica incolor, mas tem um forte odor. É um subproduto natural da repartição dos resíduos. Sua presença sinaliza um esgoto com mau funcionamento no sistema de ventilação. Os ralos de esgoto às vezes permitem que o gás de esgoto entre em sua casa ou outro espaço fechado. O gás de esgoto inalado em baixas concentrações não é mortal, mas causa irritação dos olhos e da garganta, tosse e problemas para respirar. Efeitos da inalação em concentrações baixas de gás sulfeto de hidrogênio por um longo periodo de tempo incluem fadiga, perda de apetite e dor de cabeça. Extremamente em altas concentrações do gás além de tóxicos às vezes são fatais.
Gás sulfeto de hidrogênio (H2S) – H2S é um gás muito tóxico. Ele não tem cor, mas cheira como ovos podres. Em grandes quantidades, H2S rapidamente bloqueia o sentido do olfato. É por isso que o odor não deve nunca ser usado para indicar níveis de H2S. O gás pode irritar os olhos, nariz, garganta e pulmões. O H2S em excesso pode interromper o centro respiratório no cérebro, que pode causar a morte. Pode ser possível reanimar a vítima, mas somente se os primeiros socorros forem aplicados adequadamente e rapidamente.
O H2S se dissolve em água e óleo, e pode ser liberado quando esses líquidos são quecidos, despressurizados, ou agitados. Como o H2S é mais pesado que o ar, pode se estabelecer em galerias subterrâneas e próximas ao solo em esgoto a céu aberto. O H2S queima e explode facilmente. Quando queima, H2S emite dióxido de enxofre, outro gás que é perigoso tóxico, de cheiro forte e irritante.

 

 

Qual a relação entre o mau cheiro e nossa memória?
Para explicar a relação entre o mau cheiro e nossa memoria, é importante lembrar que o olfato é para nós um sistema que nos alerta de situações que distinguimos como boas ou ruins, através dele detectamos os aromas e odores das substâncias dispersas no ar atmosférico. Os aromas e odores são detectados por meio do estímulo sensitivo de nosso sistema olfativo que identifica as diferentes moléculas dispersas no ar. Na espécie humana os receptores sensoriais são os responsáveis pela identificação dessas moléculas. Os receptores sensoriais, ou os quimiorreceptores, estão localizados no epitélio olfativo – um pedaço de tecido do localizado na cavidade nasal – que contém numerosos receptores neurais: as células olfativas.
No tecido epitelial, que compõe o sistema olfatório, há outra estrutura dessas células: os cílios ou pelos olfativos, que recobrem o tecido. Tais células são especializadas e projetam microvilosidades. Assim, os cílios são compartimento celular no qual se encontram os quimiorreceptores, que são responsáveis pela detecção dos diferentes odores (Guyton, 2001).
O nariz humano contém mais de 100 milhões de receptores especializados, ou sensores, que atuam conjuntamente em complexas operações para identificação dessas moléculas. Uma camada de muco dissolve as moléculas assim que elas chegam a esses receptores. O cérebro é capaz de interpretar esses padrões a fim de distinguir os diversos tipos de odores. Sinais do sistema olfativo humano são transmitidos para o cérebro para processamento. O cérebro, então, interpreta esse conjunto de sinais em termos de sensação odorante (De Melo Lisboa et al., 2009).

Como o mau cheiro é identificado quimicamente pelo cérebro
Para que o sistema olfativo seja estimulado, os receptores sensoriais iniciam uma série de operações para que o cérebro possa identificar o tipo de molécula e, assim, identificar o seu cheiro característico. Entretanto, para que essa interação possa ter início, as moléculas dispersas no ar devem apresentar algumas propriedades para que sejam identificadas pelos receptores sensoriais, tais como: as substâncias odorantes devem apresentar alguma solubilidade em água; pressão de vapor de alta grandeza, isto é, alta volatilidade, o que tem como consequência pontos de ebulição menores em se tratando de líquidos; lipofilicidade; e massa molar não muito elevada. Não há nenhuma molécula odorante com massa molar maior do que 294 g/mol (Guyton, 2001).

Quais os riscos, sintomas e doenças ocasionadas pela inalação de gás de esgoto por um longo período de tempo?
Quando as concentrações de esgoto de gás no ar regular chegar 0, 0005 µg/m³, que pode ser detectado como um cheiro de ovos podres ou produtos químicos em chamas pode causar dores de cabeça, falta de ar e leve aumento dos batimentos cardíacos. De 0,01 µg/m³ de gás de esgoto, o gás irá causar desconforto, náuseas e dor nos olhos. Partir de 0,01 µg/m³ (particulas por milhões) de gás de esgoto, as pessoas podem começar a mostrar sinais de doença física e mental. Dores de cabeça e aumento da freqüência cardíaca e perda de coordenação muscular (ataxia) podem acontecer. Quando as concentrações chegar a 20 µg/m³, as pessoas podem mostrar perda de memória, perda de apetite e tornar-se irritadas.
Alta exposição inalação de altos níveis de resultados de sulfeto de hidrogênio em sintomas graves que podem levar até 72 horas a aparecer. A vítima pode não ser capaz de detectar o odor de ovo podre do sulfeto de hidrogênio em concentrações superiores a 100 µg/m³. Os sintomas incluem dificuldade respiratória, cãibras musculares, baixa pressão arterial, tonturas e perda de consciência. Os efeitos sobre o sistema nervoso central tais como dores de cabeça, convulsões e tremores podem ocorrer. A vítima pode experimentar visão turva e sensibilidade à luz, bem como irritação ocular grave. A falta de oxigênio de problemas respiratórios, incluindo bronquite e líquido nos pulmões pode causar a pele aparecem em azul. Dermatite dolorosa e irritação da pele são sintomas adicionais causadas pela inalação de sulfureto de hidrogênio. A morte pode ocorrer dentro de 48 horas de exposição contínua. (...) De acordo com o Departamento de Saúde de Nova York, os trabalhadores expostos ao sulfeto de hidrogênio ao longo do tempo têm experimentado redução da função pulmonar, os tempos de reação mais lentos falta de equilíbrio e perda de memória de curto prazo. Eles também podem experimentar membranas inflamadas dos olhos, tosse e problemas nasais e dores de cabeça. Perda de apetite e náuseas também foi relatada após a exposição crônica ao sulfeto de hidrogênio.

Bactérias, vírus e fungos podem viajar através do ar e infectar pessoas?
Bactérias, vírus e fungos também podem viajar através do ar a partir de esgoto bruto. Esses patógenos tendem a morrer rapidamente na atmosfera, mas ainda pode infectar pessoas que inalam gás de esgoto. Há relatos de tuberculose, histoplasmose, poliomielite, adenovírus, ecovírus, rotavírus e bacilo da disenteria provocado por vírus e bactérias inalados em ambientes com gases provenientes de esgoto.

O estudo
Para realização do estudo foi tomado como referência uma análise da água do córrego onde o esgoto e despejado ao lado da Escola Tiradentes, sendo coletadas amostras desta água do esgoto (efluente) e enviado ao laboratório da Agro-Análise, laboratório este reconhecido e certificado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA e para o levantamento do problema e análise dos itens que influenciam diretamente o entorno do referido córrego, foi confeccionado um questionário e submetido aos envolvidos, o qual obteve-se os seguintes dados compilados e apurados.

 


Também foram analisados o tempo de exposição dos entrevistados (alunos) em relação aos gases produzidos pelo esgoto. Sabe-se que em dias mais quentes o mau cheiro é maior, e que em dias letivos, aproximadamente 200 dias no ano, cada aluno passa 1/6 do dia inalando o mau cheiro do esgoto.

 


- 34% dos entrevistados estudam na escola a mais de um ano e menos de três anos;
- 40% dos entrevistados têm entre três a cinco anos na escola;
- 26% tem entre cinco a sete anos na escola.
Como podemos observar, os dias em exposição são altos. Pegando como exemplo, 40% dos entrevistados que tem em média 2 anos que estuda na escola. Se multiplicarmos pelos dias letivos (200), obtemos um total de 800 dias em exposição. Se dividirmos este, por 1/6, que corresponde ao percentual em hora de exposição, chega-se ao total de 133,33 horas inalando o mau cheiro. Valor este que poderia ser evitado, se a empresa responsável ou o municipio regularizasse a rede de saneamento basico do municipio, solucionando assim o problema do mau cheiro e do esgoto.

Das análises em laboratório
Os resultados obtidos em laboratório, conforme laudo, da análise da água do esgoto coletadas. Os resultados mostram que para D.B.O e D.Q.O entre outros, os valores estão acima do permitido conforme resolução do CONAMA 357, para testes feitos para agua doce classe II. Onde o valor para D.B.O máximo seria de 5,00 mg/L e o resultado chega a 36,0 mg/L.

 

 

Conclusão
O sentido de educar ambientalmente hoje visa sensibilizar a população dos problemas que vivenciamos. Entretanto, não basta só compreendermos o que é certo ou errado em relação ao meio ambiente. A compreensão da natureza é importante, mas devemos envolver toda nossa sociedade na questão da preservação. Então, devemos buscar soluções e cobrar do município uma solução com relação ao problema do esgoto, que é um problema de questão ambiental. É importante ressaltar que o mau cheiro produzido pelo esgoto, ali existente atinge além dos alunos, professores e funcionários da escola Tiradentes, também à população vizinha onde a córrego passa, poluindo nosso ar e proliferando doenças. Observa-se que as consequências da inalação do mau cheiro que na realidade são gases de esgoto, são prejudiciais à saúde de todos. Principalmente, em altas concentrações que causam desde dores de cabeça, falta de ar, náuseas, dor nos olhos ou acarretar sinais de doença física e mental podendo chegar a té a morte.
Portanto, identificado o problema, verifica-se que há necessidade de obras de infraestrutura no local para canalização do córrego, direcionando o esgoto a uma estação de tratamento. A Lei 11.445/2007 considera que o saneamento básico é o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas. E que esses serviços são de titularidade do Município, ou seja, a participação do Município é decisiva para que tais serviços sejam adequadamente prestados à população.
Com relação à inalação do mau cheiro do esgoto (gás de esgoto), sabe-se que este assunto ainda é novo, poucos livros tratam do problema. Mas os resultados obtidos nesta pesquisa, mostra que o mau cheiro do esgoto, prejudica o aluno na escola, atrapalhando sua concentração, prejudicando sua saúde e consequentemente diminuindo seu raciocínio durante a aprendizagem.

 

João Carlos Mucciacito
Químico da CETESB, Mestre em Tecnologia Ambiental pelo IPT, professor nos cursos de Graduação em Engenharia e de pós Graduação em Gestão Ambiental - MBA na Fundação Santo André e USCS, bem como professor convidado no curso de pós graduação de Engenharia Sanitária e Ambiental no IPOG - Instituto de Pós Graduação.
Selma Arruda Cordeiro
Química, professora e aluna do curso de MBA de Engenharia Sanitária e Ambiental do Instituto de Pós Graduação-IPOG.

 

 

Referências Bibliográficas:

- CASTELLAN, G. Fundamentos de físicoquímica. Rio de Janeiro: LTC, 2001.
- CZERESNIA, D. Do contágio à transmissão: uma mudança na estrutura perceptiva de apreensão da epidemia. História, Ciências e Saúde, v. IV (1), p. 75-94, 1997.
- DE MELO LISBOA, H.; PAGE, T. e GUY, C. Gestão de odores: fundamentos do nariz eletrônico. Eng Sanit Ambient, v. 14, n. 1, p. 9-18, 2009.
- ROSA, M.I.P. e RAMOS, T.A. Memórias e odores: experiências curriculares na formação docente. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, p. 565-599, 2008.

Páginas da internet:
- http://pt.265health.com/public-health-safety/work-safety/1009080608; acessado em 20/04/2014.
- http://www.protecaorespiratoria.com/2011/07/gases-produzidos-em-galerias-de-esgoto.html; acessado em 23/04/2014.
- http://breathe.com.br/riscos-doencas-e-sintomas-de-inalacao-de-gases-de-esgoto; acessado em 20/04/2014.
- http://lendoerelendocl.blogspot.com.br/2013/07/esgotos-ceu-aberto-uma-ferida-social.htm; acessado em 20/04/2014.
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Esgoto; acessado em 28/02/2014.
- http://qnint.sbq.org.br/qni/visualizarTema.php?idTema=34; acessado em 28/02/2014.
- http://www.fuguitang.com/sinais-sintomas-de-gas-de-esgoto.html; acessado em 15/05/2014.
- http://www.mecanica-poliusp.org.br/wp-content/uploads/2012/08/TCC_006_2006.pdf; acessado em 15/05/2014.
- http://www.mma.gov.br/estruturas/dai_pnc/_publicacao/76_publicacao19042011110356.pdf; acessado em 28/02/2014.
- http://www.protecaorespiratoria.com/2011/07/riscos-doencas-e-sintomas-de-inalacao.html; acessado em 28/02/2014.
- http://www.sampexdesentupidora.com.br/blog/saneamento-basico/doencas-causadas-por-esgoto; acessado em 03/03/2014.

 

Fonte: Revista TAE

Comentários desta notícia

Publicidade