Publicidade
MEIO FILTRANTE - Vendas diárias animam fabricantes

Esta notícia já foi visualizada 119 vezes.

Vendas diárias animam fabricantes

Data:8/6/2017

Média de emplacamentos por dia útil vem crescendo desde janeiro

MÁRIO CURCIO, AB


Antonio Megale, presidente da Anfavea (foto: Mário Curcio)

Mais do que o crescimento de 24,6% nas vendas de maio sobre abril ou os 16,8% de alta no confronto com maio do ano passado, o que traz de fato alguma esperança aos fabricantes de veículos do País é a alta na média diária de emplacamentos, que vem crescendo mês a mês desde o início do ano. Começou em janeiro com 6,7 mil unidades e atingiu 8,9 mil veículos em maio. 

“Aguardamos a definição do cenário político, mas acreditamos que (a média diária) continuará crescendo”, afirma Antonio Megale, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

A média de janeiro foi 13,8% pior que a do mesmo mês do ano passado, enquanto a de maio foi superou em 11,5% a de maio de 2016. 
 

A ligeira alta de 1,6% nas vendas no acumulado até maio também foi motivo de alívio para as montadoras: “É a primeira vez que ocorre um crescimento no acumulado do ano desde o primeiro bimestre de 2014”, recorda Megale. 

O desempenho positivo foi puxado pelos automóveis e comerciais leves, que somaram 803,6 mil veículos, 2,3% a mais do que no mesmo período do ano anterior. Também chama a atenção o crescimento das vendas de modelos 1.0, 235 mil unidades no período e acréscimo de 8,8% sobre os mesmos cinco meses do ano passado, enquanto os veículos de mais de 1.000 cc até 2.000 cc se mantiveram estáveis e os acima de 2.000 cc tiveram retração de 15,6%. 

A participação dos carros 1.0 em maio, 37,1%, foi a mais alta desde novembro do ano passado. A média anual de 2016 foi de 33,2% e este ano está em 34,2%. O crescimento pode ter a ver com a melhora do crédito para compradores de menor renda, mas também com a mudança na oferta de produtos: “A maioria dos fabricantes adotou novas tecnologias como motores de três cilindros, às vezes com turbo e injeção direta de combustível. A melhora no desempenho tende a atrair mais consumidores”, estima Megale. 

O presidente da entidade admite que a queda dos juros começa a ter impacto positivo nas vendas. “Ainda há certo receio dos bancos, mas os primeiros números positivos começam a surgir (...) Estamos vendo sinais positivos em todos os setores, há um movimento de avançar com a economia. Torcemos para a solução mais rápida possível. Há um problema político, mas a economia tem de rodar”, afirma Megale sobre possibilidade de mudanças na presidência da República. 

O executivo recorda que os veículos pesados ainda vivem “uma situação bastante dramática”. No acumulado do ano foram licenciados 17,2 mil caminhões, volume 19,4% menor que o anotado nos mesmos cinco meses de 2016. No caso dos ônibus os licenciamentos somaram 3,6 mil unidades até maio, retração de 22,5% ante os mesmos cinco meses de 2016.

Assista à entrevista com Antonio Megale, presidente da Anfavea



 

Fonte:  www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade