Publicidade
MEIO FILTRANTE - Produção de motos cresce 12% em agosto

Esta notícia já foi visualizada 191 vezes.

Produção de motos cresce 12% em agosto

Data:12/9/2017

No entanto, acumulado do ano ainda exibe números de 15 anos atrás

REDAÇÃO AB


A produção de motos em agosto atingiu 80,2 mil unidades, anotando alta de 12% sobre julho por causa do maior número de dias úteis. No acumulado do ano, porém, as 575,5 mil unidades montadas resultam em queda de 9% ante o mesmo período do ano passado.

As vendas no atacado em agosto somaram 72,8 mil motocicletas, registrando acréscimo de 12,3% sobre julho. No acumulado dos oito meses foram repassadas às concessionárias 539,9 mil unidades, ou 11,1% a menos que em igual período do ano passado. Os números foram divulgados pela Abraciclo, entidade que reúne fabricantes do setor instalados em Manaus. 
 

Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, chama de “animadores” os resultados de produção e vendas de agosto e acredita em melhora até o fim do ano, mas o que ocorre na verdade é que os números de 2017 continuam semelhantes aos registrados 15 anos atrás. E a média diária de emplacamentos, que se manteve estável em 3,6 mil unidades de março a junho, caiu para 3,3 mil motos em julho e agosto.

EXPORTAÇÕES BEM ABAIXO DA META

As exportações em agosto totalizaram 7,2 mil motos e retração de 13,6% em relação a julho. A projeção da Abraciclo para este ano era enviar ao exterior 93 mil unidades, o que daria uma média mensal de 7.750 motos. No entanto, a média dos oito primeiros meses ficou em 6 mil unidades. 

EMPLACAMENTOS: QUEDA DE 7,5% 

Como vem fazendo há algum tempo, a Abraciclo calcula os emplacamentos desconsiderando ciclomotores usados, mas licenciados como zero-quilômetro por força de lei (uma mudança no código de trânsito que entrou em vigor no segundo semestre de 2015). Para a entidade, as 573,8 mil motos emplacadas até agosto representam uma queda de 7,5% em relação ao mesmo período de 2016. Pelo número da Fenabrave, baseado nos emplacamentos totais do setor, essa queda é bem mais acentuada, 18,9%.


Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade