Publicidade
MEIO FILTRANTE - Startup brasileira vence no EDP Open Innovation 2017

Esta notícia já foi visualizada 214 vezes.

Startup brasileira vence no EDP Open Innovation 2017

Data:31/10/2017

Equipe paulista propôs plataforma de marketplace para transações em energia distribuída solar fotovoltaica utilizando a tecnologia do Blockchain


A brasileira COSOL Condomínio Solar foi selecionada, pelo Prêmio EDP Open Innovation, como uma das melhores startups do mundo do setor de energia. A equipe de São Paulo ganhou notoriedade na segunda edição do concurso com a criação de um mercado online que possibilita transações de energia a partir da geração distribuída solar fotovoltaica. Após a recepção de mais de 363 candidaturas vindas do Brasil, Espanha, França e Portugal, as 14 startups finalistas apresentaram-se na última quinta-feira, 26 de outubro.

Fundada por Csaba Sulyok e Paloma Silva, a startup vencedora se destacou com uma proposta de marketplace que conecta os produtores e consumidores de energia que desejam adquirir lotes em fazendas de geração distribuída solar de forma remota. Os usuários podem alugar cotas para receber o fornecimento de energia limpa e mais barata utilizando a tecnologia de blockchain.

O time ganhará seis meses de incubação na EDP Starter e será levado para expor sua proposta no stand da EDP no Web Summit, maior evento de startups em tecnologia da Europa, que acontecerá entre 6 e 9 de novembro. Junto a eles estarão os dois outros grupos que tiveram o melhor desempenho ao longo de toda a competição, originários da Espanha e de Portugal.

“Mais uma vez, os brasileiros aparecem como protagonistas no ecossistema global de empreendedorismo. A COSOL, startup brasileira selecionada entre as vencedoras, apresenta uma solução voltada para a geração solar distribuída atrelada à tecnologia de blockchain, que são temas foco da EDP Brasil”, avaliou a gestora da área de inovação da EDP Brasil, Livia Brando. “Depois de ter uma equipe vencedora no ano passado, a Delfos Intelligent Maintenance, o país novamente se destaca com o maior número de inscrições para o prêmio, além de ter sido a nação com mais equipes selecionadas para a final”, reforçou.

Com o objetivo de incentivar a inovação e o empreendedorismo, a EDP criou o EDP Open Innovation em 2016. Além de conceder o devido destaque para projetos que podem mudar o mercado elétrico, a competição serve também como porta de entrada para que boas propostas possam acessar o programa EDP Starter Brasil, que promove a aceleração e o desenvolvimento de projetos voltados ao mercado de energia.

Participaram da final da competição outras cinco equipes brasileiras ao lado de times de Portugal e Espanha, são elas CUBi Energia, Enercred, SeGrid, Sii Smat Buildings e SunFlower Power System. Todas vivenciaram no último mês um processo de aceleração junto ao Ecossistema de Inovação da empresa e da Fábrica de Startups em Portugal. Mesmo não tendo levado o prêmio, os participantes poderão ser convidados a integrar o EDP Starter e até mesmo receberem recursos da EDP Ventures, fundo global de investimento em startups do grupo.



Fonte: Canal Energia /  www.energia.sp.gov.br 

Comentários desta notícia

Publicidade