Publicidade
MEIO FILTRANTE - Total quer elevar participação de 2% para 5% até o fim de 2019

Esta notícia já foi visualizada 235 vezes.

Total quer elevar participação de 2% para 5% até o fim de 2019

Data:1/11/2017

Empresa vai focar em pesados, motos, indústria e ampliar capilaridade

REDAÇÃO AB


Estratégia de Bellion (foto) visa a segmentos com margens de lucro mais altas

A Total Lubrificantes quer ampliar sua participação no mercado brasileiro de lubrificantes de cerca de 2% para 5% até o fim de 2019. O caminho traçado passa pelo aumento da presença nos segmentos de caminhões, motos, industrial e também pela expansão do número de distribuidores. 

No segmento de veículos comerciais pesados, a Total vê a oportunidade de ampliar sua participação atual de 0,8% para 2% fornecendo para frotistas que atuam no transporte rodoviário. “É um nicho em que não estamos muito presentes e que precisamos avançar por estratégias comerciais”, afirma o diretor geral da empresa no Brasil, Olivier Bellion. Segundo a empresa, apesar da grande malha viária do País, os lubrificantes para veículos comerciais representam apenas 8% do faturamento da companhia. 

“Queremos aproveitar todas as oportunidades para crescer por aqui saindo um pouco dos nichos predominantes no mercado”, diz Bellion, referindo-se ao segmento de automóveis e comerciais leves. “Miramos em produtos com margens mais altas de setores importantes para o nosso negócio”, ressalta o executivo. 

Na divisão de duas rodas, a Total vai trabalhar a marca ELF consolidando parcerias e capacitando distribuidores e formadores de opinião. Na área industrial, a intenção é crescer com a oferta de produtos para os setores de química, construção, energia, borracha, metal e madeira. 

Para aumentar suas vendas a empresa já trabalha para ampliar o número de distribuidores, que passará de 33 para 40 ainda em 2017. “Vamos expandir para alguns Estados onde ainda não atuamos, como Amapá, Piauí, Tocantins e em algumas regiões da Bahia e de Minas Gerais”, conclui Bellion.



Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade