Publicidade
MEIO FILTRANTE - Nova onda de investimento chinês no Brasil para 2018

Esta notícia já foi visualizada 201 vezes.

Nova onda de investimento chinês no Brasil para 2018

Data:8/11/2017

Analistas preveem que o Brasil viverá uma nova onda de aportes chineses a partir de 2018. Só em 2017, de janeiro a outubro, os investimentos chineses movimentaram cerca de R$35,3 bilhões. Até o fechamento do último mês, foram 17 aquisições anunciadas contra 11 no ano passado e o movimento tende a crescer ainda mais.

Ao menos dez grandes empresas já estão em estágios avançados para entrar no País, principalmente em áreas como energias renováveis, ferrovias, portos, mineração, e papel e celulose.


A primeira leva mostrou que o mercado brasileiro é seguro e abriu caminho para outras virem. As empresas chinesas começaram a analisar o mercado há cinco anos e, de lá para cá, amadureceram sua visão e conhecem bem os atrativos da região. 

Para falar sobre o assunto, colocamos à disposição Paulo Cury, sócio-fundador da Condere – assessoria independente de fusões e aquisições, empresário com mais de 20 anos de experiência em estratégia, M&A e gerenciamento de negócios. Realiza projetos de consultoria com foco em estratégia de negócios e de fusões e aquisições para uma ampla gama de empresas e indústrias nos setores de agronegócios, eletrônicos, engenharia, construção, energia, entretenimento, higiene e limpeza, mídia, petróleo e gás, saúde, tecnologia, serviços financeiros e transporte.

É economista com mestrado em administração de empresas e conselheiro certificado pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa).

Sobre a Condere
Comandada pelos sócios Paulo Cury, Maurício Carvalho e Mônica Molina, a Condere acumula mais de dez anos de mercado. A assessoria atua em estratégias corporativas; fusões, aquisições e desinvestimentos; captação de recursos; valuation e avaliação de portfólio de negócios, totalizando mais de 100 projetos e operações para empresas familiares, multinacionais – como SHV Gas e Sherwin Williams – e empresas com capital aberto – como Fleury e Mills –, com um valor combinado superior a R$ 2,5 bilhões. Associada ao Global M&A Partners (GMAP), a Condere tem capilaridade global e expertise local para projetos e operações com investidores e empresas do mundo todo.


Fonte:  www.maxpress.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade