Publicidade
MEIO FILTRANTE - Nissan gerou um lucro operacional de 281,8 bilhões de ienes primeira metade do Ano Fiscal 2017

Esta notícia já foi visualizada 158 vezes.

Nissan gerou um lucro operacional de 281,8 bilhões de ienes primeira metade do Ano Fiscal 2017

Data:9/11/2017

Yokohama, Japão — O presidente e CEO da Nissan Motor Co. Ltd., Hiroto Saikawa, anunciou no dia 8 de novembro (quarta-feira), os resultados financeiros do Ano Fiscal 2017, para o período de seis meses, de 1º de abril a 30 de setembro de 2017.

Na primeira metade deste ano fiscal, a Nissan gerou um lucro operacional de 281,8 bilhões de ienes com receitas líquidas de 5,65 trilhões de ienes.

Excluindo os custos de itens especiais associados a questões de inspeção final de veículos no Japão e pagamentos de ações coletivas nos EUA, os lucros operacionais do primeiro semestre atingiram 322,6 bilhões de ienes — em linha com as expectativas da empresa.

No segundo trimestre, excluindo os custos de itens especiais, o lucro operacional aumentou 9,2% o que corresponde a 169,3 bilhões de ienes em meio a vendas crescentes em mercados incluindo Japão e China, onde a demanda de modelos como Serena, Nota e-Power, X-Trail e Sylphy aumentou.

Resultados de vendas — No período de seis meses, de 1º de abril até 30 de setembro de 2017, as vendas globais da Nissan cresceram 4,6% totalizando 2,73 milhões de unidades vendidas. No Japão, as vendas cresceram 34,1% correspondendo a 283 mil unidades e a uma participação de mercado de 11,4%, refletindo o aumento das vendas tanto de mini-carros como de veículos de passageiros.

As vendas da Nissan na China, que reporta os dados com base no ano calendário, cresceram 6,7% com 651 mil unidades vendidas, o equivalente a uma participação de mercado de 5,2%, em meio à forte demanda por veículos como o X-Trail e a Sylphy. Na Europa, incluindo a Rússia, as vendas da Nissan aumentaram 3,6% com um total de 375 mil unidades comercializadas, o que resultou em uma participação de mercado de 3,8%. Modelos como o Qashqai e Micra ajudaram a impulsionar a demanda na região.

Nos Estados Unidos as vendas da Nissan caíram 0,4% com um total de 779 mil unidades vendidas, em comparação com um declínio de 2,1% no mercado norte-americano como um todo para o período de seis meses. Em outros mercados, as vendas da Nissan aumentaram 2,3% com 390 mil unidades comercializadas, uma vez que o forte crescimento na América Latina e na África compensou condições lentas no Oriente Médio, Ásia e Oceania.

Perspectivas — Para os 12 meses do Ano Fiscal 2017, que termina em 31 de março de 2018, a empresa revisou seu objetivo de lucro operacional e reduziu em 40 bilhões de ienes, chegando a um total de 645 bilhões de ienes a fim de refletir o impacto líquido esperado das questões de inspeção final de veículos no Japão, depois de ter em conta outras compensações de eficiência de custos.

São esperadas melhorias nos itens não operacionais e na taxa de imposto efetiva, se comparados ao período anterior. Já as perspectivas da receita líquida permanecem inalteradas. A Nissan também está mantendo sua previsão anunciada anteriormente para a receita líquida no ano inteiro.

"Nissan M.O.V.E. to 2022" — Além dos resultados financeiros do primeiro semestre, detalhes do plano de médio prazo em curso, o "Nissan M.O.V.E. to 2022", foram compartilhados. A missão do plano de seis anos é alcançar um crescimento sustentável e liderar a evolução tecnológica e comercial da indústria automotiva.

Até o fim do plano, sob a consolidação proporcional de nossa joint venture chinesa, a Nissan pretende aumentar as receitas de 12,8 trilhões de ienes para 16,5 trilhões de ienes e gerar um fluxo de caixa livre automotivo acumulado de 2,5 trilhões de ienes, com uma margem operacional de 8%.



Fonte:  www.revistafatorbrasil.com.br 

Comentários desta notícia

Publicidade