Publicidade
MEIO FILTRANTE - Ministério do Meio Ambiente e CDP assinam acordo de cooperação

Esta notícia já foi visualizada 78 vezes.

Ministério do Meio Ambiente e CDP assinam acordo de cooperação

Data:7/12/2017

Parceria entre ministério e entidade visa aumentar ações coordenadas com a sociedade brasileira para construir uma economia de baixo carbono.

O CDP Latin America e o Ministério do Meio Ambiente (MMA) celebram uma parceria com o objetivo desenvolver atividades de capacitação, assim como motivar e conscientizar empresas e cidades sobre a mensuração e reporte de ações de mitigação e adaptação aos efeitos associados à mudança do clima. Essas informações irão apoiar o MMA na elaboração de políticas públicas em Mudança do Clima, aproximando-o dos demais entes subnacionais e de empresas que buscam atuar de maneira mais responsável em relação ao meio ambiente.

O acordo de cooperação prevê que o órgão público terá acesso e será capacitado a utilizar o banco de dados de informações do CDP (com informações de empresas e cidades brasileiras que monitoram e mitigam suas ações para a construção de uma economia limpa). Já o CDP terá apoio do Ministério do Meio Ambiente para promover a articulação entre o setor público, privado e sociedade civil na construção de rotinas e proposição de políticas ambientais que envolvam toda a sociedade brasileira e avancem para a transição para uma economia de baixo carbono. A entidade se compromete em abastecer o órgão público de informações estratégicas sobre mudança de clima, segurança hídrica, desmatamento, degradação florestal, assim como trabalhar na sugestão de ações de articulação no combate aos efeitos ambientais nocivos.

A cerimônia de assinatura do memorando ocorreu durante o Fórum Brasil de Gestão Ambiental, no dia 10 de julho de 2017 em Campinas (SP). Em 25 de setembro de 2017, o extrato do acordo foi publicado no Diário Oficial da União. A validade da parceria é de dois anos a partir da publicação.

O CDP é uma organização internacional sem fins lucrativos, formada por grandes investidores interessados na avaliação do desempenho das empresas em função dos desafios ambientais de mudanças climáticas, recursos hídricos e florestas. Atualmente é formada por 827 investidores que administram um total de US$ 100 trilhões em ativos. A organização tem ainda em sua base de respondentes mais de 570 cidades no mundo todo reportando seus dados em 2017. A partir desses dados, são produzidos materiais que reportam regularmente a evolução no uso de recursos hídricos e ambientais pelas empresas e cidades signatárias.


Fonte: www.revistafatorbrasil.com.br 

Comentários desta notícia

Publicidade