Publicidade
MEIO FILTRANTE - CFS do Brasil dispõe de novos antioxidantes para biodiesel

Esta notícia já foi visualizada 185 vezes.

CFS do Brasil dispõe de novos antioxidantes para biodiesel

Data:8/2/2018

De olho no mercado de biodiesel, que deve alcançar pela primeira vez o patamar de 5 bilhões de litros de biodiesel este ano, de acordo com a Associação dos Produtores de Biodiesel (Aprobio), a Camlin Fine Sciences Ltd., líder mundial em antioxidantes sintéticos, desenvolveu o Xtendra BL100 e o Xtendra BL200. São aditivos antioxidantes de alta performance, na forma líquida, que proporcionam baixa viscosidade e estabilidade à baixa temperatura. “É um produto altamente tecnológico. Ele com um inibidor de metal tem a função de retardar a oxidação em diferentes concentrações e com diferentes matérias-primas, como TBHQ, BHT, Ácido cítrico e solventes. São produtos que não oferecem danos sobre motores internos e combustíveis por serem formulados com um sistema solvente não inflamável e de baixa toxicidade. Além disso permitem alcançar maior desempenho do biocombustível desde sua produção, armazenamento e transporte, por serem desenvolvidos na forma líquida facilitando o manuseio e dosagem. Podem ser aplicados na linha de produção, ao fluxo de saída do processo, em biodiesel acabado ou a um tanque de agitação leve ou recirculação por bomba”, ressalta o diretor da CFS da América do Sul, Luciano Monteiro.

Outros benefícios que podem ser citados são: o uso de ingredientes ativos das soluções antioxidantes fenólicas produzidos, na fábrica em Tarapur, na Índia, sob os mais rígidos controles de qualidade para o desenvolvimento do grau de pureza mais elevado no mercado. “Nossa cadeia de abastecimento é totalmente integrada verticalmente e assegura fornecimento constante, qualidade, rastreabilidade e oferece preço mais competitivo. Além disso, oferecemos o serviço de teste RANCIMAT para avaliar a performance do produto e estimativa de shelf life”, complementa o diretor.

Os Xtendra BL100 e Xtendra BL200 foram aprovados pelo AGQM (Biodiesel Quality Work Management Group), atendendo aos requisitos do “No Harm” e “Eficiência Relativa". Foram avaliados requisitos mínimos, como teste de obturador de injetores em um motor padronizado, interação com aditivos de outras empresas e a interação com diesel e óleo lubrificante. Ambos foram aprovados e registrados na EPA (Environmental Protection Agency).


Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários desta notícia

Publicidade