Publicidade
MEIO FILTRANTE - Vendas de veículos usados avançam 4,7% no 1º bimestre

Esta notícia já foi visualizada 205 vezes.

Vendas de veículos usados avançam 4,7% no 1º bimestre

Data:12/3/2018

Transferências sobem no acumulado do ano, mas recuam 14% na comparação de fevereiro com janeiro 

REDAÇÃO AB
 
As vendas de veículos usados no Brasil avançaram 4,7% no primeiro bimestre, de acordo com dados divulgados pela Fenabrave, entidade que reúne as concessionárias. No acumulado dos dois primeiros meses do ano, o volume de transferências atingiu 1,66 milhão de unidades, entre leves e pesados, sem contar motocicletas. Em igual período do ano passado, o movimento foi de 1,59 milhão. 

O segmento de veículos leves puxou o desempenho da categoria de usados no País, com aumento de 4,2% no bimestre, ao totalizar pouco mais de 1,61 milhão sobre os 1,53 milhão de iguais meses do ano anterior. Em termos isolados, o movimento de automóveis negociados registrou o maior índice de alta, de 5%, no comparativo anual, passando de 1,33 milhão para 1,4 milhão, evidenciando retomada mais acentuada dos volumes. Por sua vez, os comerciais leves usados somaram 209,1 mil unidades entre janeiro e fevereiro, incremento de 3,6%.

Já os comerciais pesados, que compreendem caminhões e ônibus, registraram avanço mais tímido no volume de transferências, de 2,5% no bimestre, influenciado negativamente pela queda de 7,4% das vendas de ônibus usados, que diminuiu de 7,74 mil para 7,16 mil. Por outro lado, o número de caminhões de segunda-mão vendidos entre janeiro e fevereiro aumentou 4,2%, de 46,6 mil para 48,6 mil, refletindo a necessidade de diversos frotistas que estão se desfazendo de veículos mais envelhecidos para adquirir novos.

Segundo os dados da Fenabrave, para cada veículo novo vendido no primeiro bimestre, foram vendidos 4,9 usados na categoria leve, sendo 5 automóveis e e 4,5 comerciais leves. Nos pesados, para cada novo emplacado outros 5,2 trocaram de dono, dos quais 5,7 caminhões e 3,2 ônibus. 


Fonte:  www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade