Publicidade
MEIO FILTRANTE - JPS-SP/Núcleo São José Rio Preto e Unesp Ibilce promovem encontro sobre poluição e qualidade do ar

Esta notícia já foi visualizada 692 vezes.

JPS-SP/Núcleo São José Rio Preto e Unesp Ibilce promovem encontro sobre poluição e qualidade do ar

Data:3/7/2018

Suely Melo

Por Igor Furlan Silva, coordenador do JPS-SP Núcleo São José do Rio Preto

Na última sexta-feira (29/06) foi realizado na Unesp IBILCE de São José do Rio Preto o encontro sobre poluição e qualidade do ar que contou com a participação de profissionais e estudantes da área ambiental, saúde e segurança do trabalho e também da construção civil. Esta foi uma das primeiras atividades do JPS Núcleo São José do Rio Preto, que contou com a parceria da Universidade.

O encontro envolveu a apresentação de duas palestras: a primeira, ministrada pelo engenheiro ambiental da CETESB Rio Preto, José Mário de Andrade, com o tema “poluição e qualidade do ar”; e a segunda, pela Profa. Dra. Ana Paula Francisco com o tema “poluentes tóxicos (dioxinas, furanos e bifenilas policloradas) no ar de ambientes urbano e rural”.

Houve total apoio da turma PET Química Ambiental do IBILCE, além da direção e coordenação que estiveram presentes na abertura e durante todo o evento. Foram trazidos vários questionamentos a respeito da situação atual da qualidade do ar de São José do Rio Preto e região.

A aluna de Química Ambiental Ana Rita Barbosa mostrou-se surpresa ao ver que os índices de poluição apresentados pelo engenheiro José Mário, que são referentes à cidade de Rio Preto, têm equivalência com a Região Metropolitana de São Paulo. Por ser uma cidade menor, acreditava-se que o volume de poluentes ou mesmo os impactos causados pela emissão e queima de combustíveis veiculares também seriam menores.

Para a estudante Geovana Mello Galeani é impressionante o impacto à saúde da população pela emissão de substâncias nocivas no ar, conforme apresentação da Profa. Dra. Ana Paula, que informou que há presença de compostos cancerígenos que ficam dispersos no ar e, além disso, estes são materiais invisíveis e contaminantes, o que agrava ainda mais a situação.

“Foi possível aproveitar o momento para realçar a importância em preservar a qualidade do ar que é afetada principalmente nos meses mais frios e secos, causando aumento inclusive pelas queimadas de cana de açúcar. É um momento estratégico de pôr em discussão a importância da conscientização e respeito ao meio ambiente, sobretudo ao ar”, afirma Isabela Akemi, também aluna de Química Ambiental, ressaltando que é um assunto pouco discutido atualmente e que muitas vezes faltam recursos para monitoramento.

Outro tema relevante é a questão cultural que se tem de usufruir de uma matriz de transporte baseada na queima de fontes fósseis, emitindo grande carga poluidora à atmosfera. Este fato poderia ser modificado à medida que fosse sendo criado um mercado mais sustentável que viabilizasse economicamente a aquisição de veículos movidos por fontes de energia limpa e renovável. O que se têm, pode ser encarado como um grande desafio em âmbito nacional, e os próximos passos serão traçados através de ações mais efetivas no equilíbrio das esferas socioeconômica e ambiental.

Contudo, vale ressaltar que ações como esta, que coloquem em discussão alunos e profissionais com experiência no assunto, são formas de contribuir para a elaboração de ideias e incentivo à projetos de desenvolvimento que visem resolver os principais problemas enfrentados atualmente. Nesse sentido, o JPS núcleo São José do Rio Preto buscará intensificar momentos como este e formar parcerias com as instituições de ensino para que os assuntos ligados ao meio ambiente estejam cada vez mais presentes no meio acadêmico e no mercado de trabalho.


Fonte: ABES

Comentários desta notícia

Publicidade