Publicidade
MEIO FILTRANTE - Venda de máquinas agrícolas cresce quase 50% em junho

Esta notícia já foi visualizada 700 vezes.

Venda de máquinas agrícolas cresce quase 50% em junho

Data:10/7/2018

Perspectivas para o segundo semestre levam fábricas a rever para cima projeção anual 

MÁRIO CURCIO, AB


As máquinas agrícolas e de construção deram um grande salto em junho, com a venda de 4,9 mil unidades e alta de quase 50% sobre maio (exatos 49,8%). No acumulado do ano foram entregues 19,9 mil unidades e ainda persiste uma pequena retração de 2,3% ante o primeiro semestre do ano passado.

Mas o cenário é de otimismo para o segundo semestre e levou os fabricantes a rever para cima a projeção do mercado interno. Em vez de 44 mil unidades e alta de 3,7%, a previsão agora é de 45,4 mil máquinas e acréscimo de 7%. Os números foram divulgados pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

“Vemos somente expectativas positivas para o agricultor brasileiro”, afirma o vice-presidente da entidade, Alfredo Miguel Neto.


“Há uma forte demanda global por alimentos e a desvalorização do real favorece o produtor. Esse fator vem gerando a antecipação de negociações da soja pelo bom preço”, afirma o executivo. 

O Miguel Neto ressalta também outros fatores, como o baixo índice de inadimplência atual e os impasses comerciais entre Estados Unidos e China. 

“E é provável que o Brasil supere os Estados Unidos este ano em produção de soja”, estima o presidente da Anfavea, Antonio Megale, que também comemora os dados de exportação.

No primeiro semestre as fábricas enviaram US$ 1,7 bilhão em máquinas agrícolas e rodoviárias, 42,9% acima na comparação interanual. “O valor é recorde para o primeiro semestre”, recorda Megale. Em unidades, no entanto, o País enviou 6,1 mil máquinas nestes seis meses, registrando pequena alta de 2,1%.

O cenário atual na Argentina, principal comprador das máquinas brasileiras, forçou a Anfavea a rever para baixo a projeção de exportações: em vez de 15,4 mil unidades e acréscimo de 9,9%, a entidade estima agora 15 mil e aumento de 7%. A redução decorre da seca no país vizinho e da desvalorização do peso.

PRODUÇÃO: TAMBÉM REVISTA PARA CIMA

Como consequência do aumento do consumo interno de máquinas previsto para o segundo semestre, a Anfavea fez uma leve revisão para cima a produção anual. Em vez de 59,4 mil unidades e alta de 12,1%, a entidade acredita agora em 60,4 mil máquinas e acréscimo de 14%.



Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade