Publicidade
MEIO FILTRANTE - Produção aponta para 3 milhões de veículos em 2018

Esta notícia já foi visualizada 198 vezes.

Produção aponta para 3 milhões de veículos em 2018

Data:7/12/2018

Anfavea espera por nova alta em 2019 embalada por mercado doméstico 

PEDRO KUTNEY, AB

Após muitos feriados e paradas nas linhas de produção no País, as fábricas montaram 245,1 mil veículos e fecharam o mês passado com queda de 6,9% em relação a outubro, que teve mais dias úteis, e leve retração de 1,6% na comparação com novembro de 2017. 

Mas o resultado anual ainda é robusto, com 2,7 milhões de veículos fabricados em 11 meses, em alta de 8,8% na comparação com o mesmo período do ano passado. O ritmo atual aponta para a fabricação total em torno de 3 milhões de unidades montadas até o fim de 2018, número 11% maior do que o registrado há um ano, de acordo com projeção da Anfavea, a associação dos fabricantes. 


“É um número interessante, devemos fechar o ano com 3 milhões de veículos produzidos, é o melhor resultado dos últimos três anos”, destaca Antonio Megale, presidente da Anfavea.


O crescimento da produção das fábricas brasileiras de veículos está sendo sustentado em maior grau pela expansão de 15% do mercado doméstico, pois as exportações estão caindo 15% este ano. 

Ainda assim, Megale estima que a produção vai continuar a crescer em 2019, dado que as vendas domésticas tendem a avançar pelo menos 10%, chegando a algo em torno de 2,8 milhões de unidades. Por mais que as exportações sigam em queda, deverão garantir ao menos número parecido com o deste ano, perto de 600 mil veículos, o que faria as fábricas montarem mais de 3,4 milhões, em expansão de 13% sobre 2018. Ainda será pouco para completar a capacidade da indústria, estimada em 4,5 milhões por ano. 

O nível de emprego permanece estável na indústria, com 131 mil empregados ao fim de novembro passado, número 2,5% maior do que o verificado há um ano. “É preciso destacar que o número de trabalhadores [nos fabricantes de veículos] foi mantido mesmo depois da adoção de métodos de produção mais automatizados”, lembra Megale.


Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade