MEIO FILTRANTE - Ethanol Summit: inovações para o uso da cana-de-açúcar
Esta notícia já foi visualizada 1271 vezes.



Ethanol Summit: inovações para o uso da cana-de-açúcar

Data:24/6/2019

O painel “Inovação movida a cana: novos usos e produtos”, realizado durante o Ethanol Summit, maior evento sucroenergético da América Latina, apresentou os cases da Braskem, da Arlanxeo e do Grupo Boticário, empresas que estão inovando na utilização da cana-de-açúcar como matéria-prima.

Alexandre Silva, Gerente de Design & Redes de Inovação do Grupo Boticário, falou sobre o ecoálcool, também conhecido como etanol 2G, que é produzido pela Raízen a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Com origem 100% renovável, o ecoálcool tem uma pegada de carbono 35% menor em relação ao álcool tradicional. O Grupo foi o pioneiro na utilização do produto na indústria cosmética brasileira e tem como meta liderar um movimento no setor. 

O Grupo também apresentou o case do “PE Verde”, plástico vegetal também produzido pela Braskem e utilizado nas linhas “Cuide-se Bem” e “Nativa Spa”. De janeiro a maio de 2019, os produtos cosméticos produzidos pelas marcas O Boticário e Quem Disse, Berenice? com essa tecnologia possibilitaram redução de 59 mil toneladas de emissões de CO2.

Outro case apresentado foi do “Keltan Eco”, primeira borracha sintética “verde” produzida a partir de matéria-prima de fontes renováveis. Anelisa Tofoli, especialista em Desenvolvimento e Aplicações da Arlanxeo, ressaltou que o principal objetivo é expandir a adoção desse material no mercado, estimulando o desenvolvimento de produtos mais verdes e diminuindo a dependência de recursos fósseis. 

Tofoli conta que esse foi o material utilizado na bola da Copa do Mundo de futebol, em 2018, na Rússia. A ideia foi buscar uma alternativa mais sustentável que mantivesse a performance. Hoje o Keltan Eco já é utilizado pelo setor automotivo em mangueiras, correias e limpadores, por exemplo, e em outros segmentos principalmente em vedações, fios e cabos.

Everton Van Dal da Braskem disse que a empresa, que investe em químicos renováveis há dez anos, em breve, lançará o etilenoglicol de fonte renovável, que será utilizado na fibra de poliéster e na produção de garrafas pet.

Fonte: UNICA

Comentários desta notícia

Publicidade