MEIO FILTRANTE - A busca por parceiros comerciais na América Latina
Esta notícia já foi visualizada 622 vezes.



A busca por parceiros comerciais na América Latina

Data:29/8/2019

Empresas brasileiras voltam-se para oportunidades no comércio exterior a fim de estarem protegidas em momentos de crise econômica interna. A América Latina apresenta atrativos para a exportação e ferramentas de inteligência comercial são essenciais para possibilitar que empresas localizem com maior rapidez e assertividade os melhores parceiros nessa região.

“É importante ter um equilíbrio, dividindo as receitas entre o mercado nacional e o internacional, para que as empresas se protejam em momentos de crise


O Ministério da Economia reduziu pela terceira vez a previsão de crescimento do PIB em 2019 e anunciou, em julho, que a projeção de crescimento é de apenas 0,81%. No mesmo relatório, os indicadores econômicos mensais do último trimestre mostram que a recuperação econômica ainda está lenta.

Diante deste cenário, cada vez mais empresas brasileiras tem buscado a exportação para aumentar o faturamento e reduzir a dependência do mercado interno.“É importante ter um equilíbrio, dividindo as receitas entre o mercado nacional e o internacional, para que as empresas se protejam em momentos de crise”, afirma Carlos Eduardo Abijaodi, diretor de Desenvolvimento Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Um passo importante para esse processo é decidir para onde exportar e, a América Latina combina fatores como facilidade em meios de pagamento e tributação diferenciada, tornando-a uma excelente opção para o comércio exterior.

Um caminho para as empresas conseguirem visibilidade sobre oportunidades de negócios na América Latina é utilizar plataformas de busca com dados específicos de empresas da região. É, por exemplo, o que oferece a empresa CIAL Dun & Bradstreet, com sua popular ferramenta dun’sguide. Este buscador on-line de fácil navegação possui uma base de dados de quase 8 milhões de empresas latino-americanas.

Informações de faturamento, contatos, perfil da empresa e de seus executivos, tornam a procura por parceiros comerciais mais ágil e assertiva, permitindo que mais empresas brasileiras se beneficiem das facilidades da exportação para a América Latina.

Uma vez identificados possíveis parceiros, as companhias podem tirar proveito dos diversos acordos comerciais firmados entre Brasil e os países da região que reduzem os impostos e outras barreiras não tarifárias. Os acordos brasileiros não se limitam ao bloco MERCOSUL, há também acordos com a Aliança do Pacífico, composta por México, Chile, Peru e Colômbia, entre outros.

Uma vantagem adicional da exportação para a América Latina é que alguns países como Argentina e Uruguai, por exemplo, possuem convênios entre os bancos centrais nacionais que viabilizam que compras e vendas sejam realizadas em moedas locais, usando o Sistema de Pagamento em Moeda Local (SML). Como resultado, as negociações não sofrem interferência da cotação do dólar.

Outro fator relevante é que 80% das exportações brasileiras para a América Latina são de bens manufaturados, ou seja, possuem maior valor comercial que commodities, o que evidencia a relevância da região para a balança comercial do país.

Com as facilidades da exportação para a América Latina e o uso de ferramentas de inteligência comercial para a identificação de parceiros, não faltam motivos para empresas brasileiras explorarem o potencial econômico da região.


Website: http://www.cialdnb.com



Fonte: www.noticias.dino.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade