MEIO FILTRANTE - CNH Industrial recebe Selo WCM Prata em fábrica de Minas Gerais
Esta notícia já foi visualizada 417 vezes.



CNH Industrial recebe Selo WCM Prata em fábrica de Minas Gerais

Data:10/10/2019

Certificado atesta alto padrão de qualidade de produção, segurança e eliminação de perdas em Sete Lagoas

REDAÇÃO AB
 
A fábrica da CNH Industrial em Sete Lagoas (MG) recebeu o Selo WCM Prata no programa World Class Manufacturing, que atesta o alto padrão de qualidade de produção, segurança e eliminação de perdas da unidade, que também atingiu o marco de zero aterro, significando que a planta recicla 100% de seus resíduos.

O WCM é um padrão industrial global do Grupo FCA, que estende o programa às suas demais empresas, como o Grupo CNH Industrial. O sistema é estruturado em pilares focados em melhoria contínua, projetado para eliminar desperdícios e perdas nos processos de produção. Suas certificações são feitas a partir de avaliações e auditorias periódicas de terceiros. A partir da pontuação alcançada pela companhia, ela é classificada nos níveis Bronze, Prata e Ouro.

Das 64 fábricas da CNH Industrial espalhadas pelo mundo, uma já levou o Ouro (Madri, Espanha) e 15 têm Prata. No Brasil, além de Sete Lagoas, as plantas de Curitiba (PR), Contagem (MG), Sorocaba (SP) são Prata. A planta mineira fez melhorias significativas nas áreas de manutenção profissional e motivação dos operadores, o que a levou a ganhar o selo WCM Prata. Ela é responsável pela produção de produtos da linha Iveco como seus utilitários leves, caminhões e ônibus, além de abrigar um centro de pesquisa e desenvolvimento.

Zero aterro:

Fábrica de Contagem (MG) – meta alcançada em 2019;
Fábrica de Piracicaba (SP) – meta alcançada em 2018
Fábrica de Sete Lagoas (MG) – meta alcançada em 2019
Fábrica de Sorocaba (SP) – meta alcançada em 2019
Fábrica de Curitiba (PR) – Apenas 0,5% dos resíduos são destinados a aterros. Isso porque a legislação ambiental do estado do Paraná estabelece que resíduo sanitário tem que ser destinado para aterro industrial.


Fonte: http://www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade