MEIO FILTRANTE - CETESB promove capacitação em adaptação às mudanças climáticas, aos municípios da Baixada Santista
Esta notícia já foi visualizada 905 vezes.



CETESB promove capacitação em adaptação às mudanças climáticas, aos municípios da Baixada Santista

Data:19/11/2019

O papel dos governos locais no tocante às mudanças climáticas é essencial. Para ressaltar a importância do envolvimento e ações dos municípios com relação ao tema, a presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, participou em 11/11 do curso de “Capacitação em Adaptação às Mudanças Climáticas sobre os Recursos Hídricos”, que está sendo realizado na sede da AGEM – Agência Metropolitana da Baixada Santista. Fazem parte do treinamento membros das nove prefeituras litorâneas integrantes do Comitê da Bacia Hidrográfica da Baixada Santista.

O litoral paulista é uma região de alta vulnerabilidade às mudanças climáticas devido a concentração de população, ecossistemas e suscetibilidade aos riscos ambientais. Estudos indicam a possibilidade de agravamento nas inundações costeiras causadas por um aumento anormal do nível do mar e ressacas na costa geradas por tempestades oceânicas.

Por estas e outras razões, a Baixada Santista foi escolhida para iniciar os treinamentos para os municípios paulistas. Conforme explicou a gerente da Divisão de Mudanças Climáticas da CETESB, Maria Fernanda Pelizzon Garcia, a iniciativa começou como um projeto que visava basicamente uma publicação, mas evoluiu para uma capacitação. Futuramente, a experiência deverá ser replicada para outras regiões do Estado.

A presidente Patrícia Iglecias enfatizou o papel dos governos subnacionais no assunto, sejam eles estaduais ou municipais: “Não precisamos aguardar ações do governo federal”. A dirigente lembrou que a agenda da ONU relativa aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), de 2015, “tem evoluído graças aos governos subnacionais” e destacou a frase do então secretário-geral da Organização em 2012, Ban Ki-moon, para reforçar a importância desse envolvimento local: “Nossa luta pela sustentabilidade será ganha ou perdida nas cidades”.

Ela também mencionou o ODS n° 17, que fala das parcerias: “Precisamos fazer o trabalho em conjunto, para ter cidades sustentáveis”. E pediu o envolvimento dos municípios no tema: “Vocês precisam se envolver, para que possamos conectar as metas globais às realidades locais”. Falou, ainda do papel da CETESB e suas atribuições, projetos e programas, que podem contribuir para as prefeituras desempenharem suas tarefas, como o Sigor e a CETESB para Todos, entre outros.

A SIMA também esteve presente, por meio de sua coordenadora de Assessoria Internacional, Jussara Carvalho, que também elogiou a iniciativa: “Hoje, em vez de mudanças climáticas, já falamos em ‘urgências climáticas’, pois estamos sofrendo com os efeitos das mudanças”. Nesse sentido, ela lembrou a criação, neste ano, pela Secretaria, do Comitê de Integração de Políticas Globais de Desenvolvimento Sustentável, e o pioneirismo do Estado, com a PEMC, instituída em novembro de 2009.

Compuseram a mesa de abertura da capacitação em Santos a diretora-adjunta técnica da AGEM, Fernanda de Faria Meneghello; o vice-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica da Baixada Santista, Celso Garagnani; o secretário de Meio Ambiente de Praia Grande, Israel Lucas Evangelista; o secretário-executivo do ICLEI (Governos Locais pela Sustentabilidade), Rodrigo Perpétuo; e o presidente do Conselho Diretor do ICLEI, prof. Pedro Jacobi.

Além da gerente da Divisão de Mudanças Climáticas da CETESB, a organização do curso conta com o apoio e envolvimento de vários profissionais e especialistas da Companhia, como Maria Emília Botelho, assessora da Presidência; Jorge Gouveia, gerente do Departamento de Desenvolvimento Institucional Estratégico; Josilene Ferrer, também assessora da Presidência; e Lina Aché, da ESC – Escola Superior da CETESB. Os recursos financeiros para o treinamento vieram do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos).

Fotografia: José Jorge.

Fonte: CETESB

Comentários desta notícia

Publicidade