MEIO FILTRANTE - Suécia quer investir R$ 3 milhões em pesquisa de energia limpa no transporte público
Esta notícia já foi visualizada 699 vezes.



Suécia quer investir R$ 3 milhões em pesquisa de energia limpa no transporte público

Data:26/11/2019

Estudos vão identificar oportunidades de produção ou geração de biogás por meio da agricultura (vinhaça de cana de açúcar), aterros sanitários e estações de tratamento de esgoto

O governo da Suécia, por meio do Swedfund (entidade de financiamento ao desenvolvimento sustentável), ofereceu, no início deste mês, à Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, uma consultoria no valor R$ 3 milhões para investimentos em pesquisa na geração de biogás (energia limpa). O objetivo é implantar os resultados do estudo no transporte público, reduzindo, assim, as emissões de poluentes. A parceria deve ser assinada até o fim do ano, e a pesquisa, em 2020.
Para o secretário-executivo da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, Luiz Ricardo Santoro, a parceria é bem-vinda, pois contribui para o desenvolvimento de políticas públicas que aliam desenvolvimento e sustentabilidade. “A fusão de órgãos e secretarias em uma única pasta facilita a discussão de cooperações técnicas, como a do Swedfund. Hoje sentamos todos (energia, recursos hídricos, saneamento e meio ambiente) na mesma mesa, o que acelera os processos”, destacou.

O coordenador de Óleo, Gás e Biocombustíveis da SIMA, Ricardo Cantarani, explicou que a ideia é identificar oportunidades de produção ou geração de biogás por meio de fontes como a agricultura (vinhaça de cana de açúcar), aterros sanitários e ETEs (estações de tratamento de esgoto). “Na sequência, podemos usar os resultados no transporte público e expandi-lo para a indústria e na geração de energia.”

A SIMA definirá um comitê gestor para elaborar os termos de referência da parceria. O documento vai conter o tipo de trabalho a ser desenvolvido, o foco da pesquisa e os resultados que a consultoria vai entregar. “Vamos unir experiências, ou seja, juntar nossa expertise e o que eles enxergam de mais promissor em projetos desta natureza”, destacou Cantarani.

De acordo com a consultora do Conselho de Comércio da Embaixada da Suécia, Victoria Fernandes, uma das ideias do estudo é envolver o lodo gerado no tratamento de esgoto da Sabesp. “A pesquisa visa preparar a Companhia para implantar a produção de biogás em uma das plantas”, explicou.

Os estudos vão ajudar a SIMA na promoção e desenvolvimento de pilares fundamentais da questão ambiental, como os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o Acordo de Paris, a Política Estadual de Mudanças Climáticas (PEMC) e a diversificação da matriz energética.


Fonte: Assessoria de imprensa

Comentários desta notícia

Publicidade