MEIO FILTRANTE - GM amplia e moderniza Gravataí para produzir o novo Onix
Esta notícia já foi visualizada 701 vezes.



GM amplia e moderniza Gravataí para produzir o novo Onix

Data:28/11/2019

Inauguração oficial da nova linha de produção do Onix na GM Gravataí


Fábrica gaúcha recebeu investimentos de R$ 1,4 bilhão, digitalizou sua linha e elevou cadência produtiva de 63 para 66 carros/hora

REDAÇÃO AB*
 
Para produzir a nova geração da família Onix (hatch e sedã), a General Motors investiu R$ 1,4 bilhão para ampliar e modernizar a fábrica de Gravataí (RS). Boa parte das linhas de produção foram digitalizadas e receberam robôs e equipamentos conectados no conceito de indústria 4.0. A cadência produtiva de 63 para 66 carros/hora e foram contratados 500 novos funcionários para a planta, que agora trabalha em três turnos com 7 mil empregados.

A cerimônia oficial de inauguração da nova linha de produção de Gravataí foi realizada na quarta-feira, 27, com a presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e do vice-presidente da GM América do Sul, Marcos Munhoz.

“Desde sua inauguração, a fábrica da GM em Gravataí é uma das mais eficientes do mundo. Esta é a terceira grande expansão nestes 19 anos de funcionamento, sempre incorporando os mais avançados processos de produção para atender as necessidades técnicas da nova linha de produtos”, comentou Marcos Munhoz.


NOVOS EQUIPAMENTOS, FORNECEDORES E MAIS EFICIÊNCIA


Entre os investimentos realizados na fábrica para produzir os novos Onix e Onix Plus, está um novo prédio de injeção de polímeros, onde é realizado o processo de moldagem de para-choques. O número de fornecedores também cresceu, com sete novos, dois deles operando dentro do condomínio industrial de Gravataí, a fabricante de tanques de combustível Yapp e a Reydel, que fornece o painel dianteiro já montado com seus diversos elementos. Por isso a GM estima que a ampliação tenha gerado o total de 2 mil vagas de emprego, 1,5 mil delas na cadeia de suprimentos da montadora.

Muitos processos da fábrica foram digitalizados, como as simulações de volume de produção da linha, que buscam os melhores meios de transporte e de movimentação das peças. Foram instalados softwares de controle de produção que programam o mix de modelos diretamente para a linha de montagem, o que traz agilidade e reduz a necessidade de estoques na unidade. Outro software integra os sistemas que controlam os parâmetros de produção de acordo com os sistemas de qualidade, garantindo que cada parafuso tenha o torque exato, por exemplo.

Foram adquiridos novos robôs que trabalham sincronizados, com sistemas de visão que realizam autocorreções automáticas, trabalhando no conceito de manufatura 4.0. Os robôs ainda foram integrados com sensores a laser para a realização de verificações dimensionais on-line dos carros produzidos.

A internet das coisas (IoT) está em toda a linha de montagem, que foi equipada com sensores, sinalizadores, equipamentos e sistemas que se comunicam entre si por meio da rede interna wi-fi.

O abastecimento de componentes na linha é feito por os AGCs (Automated Guided Cart, ou carrinhos autoguiados). Grande parte das peças são rastreadas por meio do sistema de RFID (Radio-Frequency Identification, ou identificação por radiofrequência).

“Realizamos o escaneamento 3D de peças que geram comparações com os modelos matemáticos a fim de garantir qualidade em escala milimétrica”, destaca Luis Mesa, diretor do Complexo Industrial Automotivo GM Gravataí.

O uso de ferramentas de realidade aumentada (VR) também foi introduzido no chão de fábrica. Com óculos que projetam imagens, os operadores treinaram o processo de montagem do novo Onix mesmo antes de a primeira carroceria do modelo existir.

Usando a mesma tecnologia, a fábrica se utiliza de drones para manutenção preventiva de telhados, calhas, chaminés e para verificação de pontos de difícil acesso, como em pontes rolantes.

* Com informações de Mário Curcio, AB, de Gravataí (RS)



Fonte: http://www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade