MEIO FILTRANTE - Associadas à Abeifa emplacam 2,4 mil unidades no primeiro mês do ano
Esta notícia já foi visualizada 196 vezes.



Associadas à Abeifa emplacam 2,4 mil unidades no primeiro mês do ano

Data:5/2/2020

REDAÇÃO AB
 
Os importadores de veículos associados à Abeifa começaram o ano com 2,4 mil unidades vendidas em janeiro, o que representou queda de 2,6% na comparação com mesmo mês do ano passado. Com relação a dezembro, que geralmente é um mês mais forte para o mercado, os emplacamentos de janeiro foram 28,7% menores.

Com isso, a participação da Abeifa nas vendas totais de veículo no País foi de 1,3%. Para a entidade, apesar do volume menor, pode-se considerar este como um resultado quase estável, uma vez que a diferença absoluta é de apenas 67 unidades.

“O mercado interno total de automóveis comerciais leves amargou queda de 3,5% com relação a janeiro do ano passado e de 26,9% ante dezembro de 2019. Nós, importadores oficiais, acompanhamos o comportamento de vendas gerais. Não foi um bom mês para ninguém”, analisa o presidente da Abeifa, José Luiz Gandini.

O executivo reforça que embora o início do ano não tenha sido favorável para os negócios, a economia brasileira dá sinais de recuperação gradual, o que pode ser um alento para o setor automotivo em geral.

“Com o dólar acima dos R$ 4,20 não será um bom ano para os importados, porém se a economia reagir e acreditando num reposicionamento da cotação do dólar, poderemos ter um bom ano, inclusive para os veículos importados”, completa.


PRODUÇÃO

Entre as 15 associadas da Abeifa, quatro delas também produzem veículos no Brasil: BMW, Caoa Chery, Land Rover e Suzuki. Em janeiro, suas linhas de montagem entregaram pouco mais de 2,5 mil veículos, aumento de 28,1% sobre igual mês de 2019. Na comparação com dezembro houve queda de 29,6%.

Das quatro fabricantes, apenas a Caoa Chery registrou alta na produção de veículos em janeiro: foram 1,6 mil unidades, 68,6% a mais sobre o total feito um ano atrás pela montadora. BMW, Land Rover e Suzuki diminuíram os volumes de produção em 13,4%, 2,4% e 32%, respectivamente.



Fonte:  www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade