MEIO FILTRANTE - Paccar, dona da DAF, lucrou US$ 2,3 bi com faturamento líquido de US$ 25,6 bilhões
Esta notícia já foi visualizada 135 vezes.



Paccar, dona da DAF, lucrou US$ 2,3 bi com faturamento líquido de US$ 25,6 bilhões

Data:12/2/2020

REDAÇÃO AB
 
A Paccar, grupo que detém as marcas de caminhões DAF, Kenworth e Peterbilt, registrou receita e lucro recordes em 2019, e alcançou 81 anos consecutivos de receita líquida positiva. O faturamento da companhia encerrou em US$ 25,6 bilhões, enquanto o lucro líquido foi de US$ 2,3 bilhões, com retorno de 9,3% sobre o faturamento líquido.

As vendas globais do grupo somaram 198,8 mil unidades, também o maior volume da história. A Paccar Parts, divisão de autopeças, também registrou faturamento recorde, acima dos US$ 4 bilhões.

“Os vibrantes resultados da Paccar refletem os produtos e serviços de alta qualidade da empresa, fortes mercados globais de caminhões, produção recorde de caminhões e vendas recordes de peças de reposição”, enfatiza o CEO Preston Feight.

O grupo registrou boas vendas e resultados tanto na América do Norte, onde atua com as marcas Kenworth e Peterbilt, quanto na Europa, com a DAF. A empresa estima que o mercado europeu deva diminuir sua demanda por caminhões pesados (com PBT acima de 16 toneladas), passando de 320 mil em 2019 para até 290 mil neste ano. Apesar disso, a Paccar considera o nível excelente: “A demanda por caminhões na Europa continua forte devido ao constante crescimento econômico na região”, disse Harry Wolters, presidente da DAF.

Na América do Sul, o segmento de caminhões pesados registrou a venda total de 105 mil veículos em 2019 e a projeção é de que este ano aumente entre 100 mil e 110 mil em 2020. “A demanda dos clientes por caminhões DAF e Kenworth resultou em aumento de 59% nas entregas na América do Sul em 2019”, disse Gary Moore, vice-presidente executivo da Paccar. O mercado brasileiro de caminhões respondeu por 75 mil veículos e as projeções, de acordo com a empresa, são de volume entre 70 mil e 80 mil caminhões em 2020.


Fonte: www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade