MEIO FILTRANTE - João de Oliveira foi eleito presidente da Abeifa
Esta notícia já foi visualizada 259 vezes.



João de Oliveira foi eleito presidente da Abeifa

Data:16/3/2020

Atual diretor da Volvo Car Brasil sucede a José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors

REDAÇÃO AB
 
O diretor geral de operações e inovação para o Brasil da Volvo Car, João de Oliveira, foi eleito presidente da Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa) em chapa única formada por seu vice-presidente Divanildo Albuquerque (Porsche) e Julia Boch Rios (Porsche), para o mandato de 2020 a 2022.

 Oliveira substitui José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil. A entidade foi fundada em 1991 e chegou a ter em seu quadro 32 associadas. Catorze destas constituíram unidades fabris no País desde 1996. Hoje as associadas (com ou sem fábrica) são 15: BMW, BYD, Caoa Chery, Ferrari, JAC Motors, Jaguar, Kia Motors, Lamborghini, Land Rover, Maserati, Mini, Porsche, Rolls Royce, Suzuki e Volvo.

Oliveira é o nono presidente da Abeifa. Desde a fundação da entidade, o cargo foi ocupado por Emilio Julianelli (1991-1996), José Carlos Gandini (1996-1997), Daniel Buteler (1997-1998), José Luiz Gandini (1998-2000/2006-2008/2010-2012/2016-2018 e 2018-2020), André Carioba (2002-2006), Henning Dornbusch (2008-2010), Flávio Padovan (2012-2014) e Marcel Visconde (2014-2016).

O novo presidente da Abeifa é formado em Engenharia Mecânica e tem mais de 16 anos na Volvo. Entrou na empresa como estagiário e passou por diversas funções.

Na diretoria da Volvo, ficou à frente das operações de mercados importadores para a América Latina e Caribe, passando em seguida a diretor comercial da operação brasileira até ocupar o posto atual. No segundo semestre de 2019 ele foi contratado como diretor comercial da Citroën, mas retornou à Volvo em fevereiro.

Sobre a eleição para a presidência da Abeifa, Oliveira afirma: “Em nossa gestão, pretendemos fortalecer o setor por seu mais importante trunfo, que é trazer a inovação tecnológica, sempre de vanguarda, dos veículos projetados, desenvolvidos e comercializados nos principais polos produtivos e mercados do mundo.”

João de Oliveira recorda que nestes 29 anos de existência da Abeifa, o impacto negativo do imposto de importação de 35% e da elevada cotação do dólar e do euro no setor de veículos importados não tem precedentes.

“Por isso, vamos dar continuidade à gestão anterior nesse quesito, no sentido de negociar com o Governo Federal a redução do imposto de importação dos atuais 35% para 20%, alíquota equivalente à Tarifa Externa Comum do Mercosul TEC).”


Fonte:  www.automotivebusiness.com.br

Comentários desta notícia

Publicidade